Neste período, pequenos comerciantes e grandes empresas encontram no Natal uma oportunidade de aumentar o faturamento nos negócios. Supermercados e padarias, por exemplo, além da venda de produtos e alimentos típicos da data, também apostam na venda de cestas e pratos prontos para a ceia ou almoço de Natal.

De acordo com a Associação Mineira de Supermercados (AMIS), a festividade é o melhor período de vendas no ano para o setor. E as maiores apostas estão nos produtos típicos da data. Uma pesquisa da associação mostra que os supermercadistas mineiros estimam que as vendas neste ano podem ser 4,25% melhores em relação ao mesmo período do ano passado. Na sondagem da Amis, 20% dos entrevistados vão apostar na produção de cestas de Natal para os clientes.

O vice-presidente do Grupo Supernosso, Rodolfo Nejm, confirma a pesquisa da Amis e projeta que as vendas de ceias e cestas personalizadas, neste ano, sejam 10% maiores que 2020. A rede garante que todos os pratos e produtos da padaria são produzidos de forma artesanal e levam a assinatura de um chef de cozinha. Outra aposta da rede é a facilidade do cliente em comprar em canais digitais, como site e aplicativo. “Queremos cada vez mais oferecer produtos de qualidade e facilitar a jornada de compra de nossos clientes”, diz o executivo.

Daniele Santos, dona da confeitaria Doces Mãos de Fada, no bairro Boa Vista, região leste de Belo Horizonte, apostou na produção dos produtos faltando poucos dias para a festividade. Ela conta que, há 21 anos trabalha com encomendas de bolos e doces tradicionais para buffet, festas crianças, chá de bebês. No entanto, em função da pandemia e a suspensão de eventos, o número de clientes e pedidos caiu significativamente, restando somente trabalhos esporádicos. A confeiteira teve receio de investir nos produtos natalinos este ano, mas a necessidade de uma fonte de renda extra fez com que ela arregaçasse as mangas e, literalmente, colocasse a mão na massa. 

Daniele conta que começou a produzir os doces para Natal há cerca de uma semana. Usando as redes sociais, ela publicou imagens dos produtos, e, em apenas uma hora, conseguiu encomendas que chegaram no valor total de R$ 1.300.

Os clientes podem encomendar panetones, pirulitos decorados, brownies, biscoitos, cookies, e outros produtos com a temática de Natal. Mas ela revela que o carro-chefe do seu estabelecimento é o pão de mel decorado. A proprietária diz que com um valor médio de R$ 10, o doce “é um mimo, uma lembrança”, e uma boa opção para presentear amigos, funcionários e familiares.

Dione Furtado é proprietária da Projectum, uma empresa de Belo Horizonte especializada em decorações, mas com expertise em entrega de serviços típicos de Natal. Além do agenciamento de Papai Noel no período da festividade, a empresa decora shoppings, empresas, praças, vias públicas com temática natalina. 

Em 2020, apesar da pandemia, a empresária conta que as contratações de Papai Noel ocorreram de forma normal, mas que, nos últimos anos, o volume de trabalho vem aumentando. Neste ano, por exemplo, ela conta que atendeu 49 shoppings e 40 prefeituras. “Nós estávamos muitos carentes das comemorações, eu acho que esse ano veio com mais força”, declara.

Leia também:
Cachorro faz sucesso após 'passear' de ônibus e tirar foto com Papai Noel em shopping de BH
Pessoas em situação de rua celebram Natal sob Viaduto Santa Tereza; veja imagens