A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) informou, nesta terça-feira (21), que acionou o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para solicitar uma garantia mínima de trabalhadores em atividade ou a interrupção imediata da greve dos metroviários programada para começar à 0h de quinta-feira (23). 

De acordo com a nota emitida pela CBTU, a expectativa é de que o TRT se manifeste a partir da convocação imediata de uma audiência com os trabalhadores. Nos cálculos da companhia, a paralisação dos metroviários afetaria mais de 80 mil pessoas que usam o serviço diariamente.

Manifesto

A greve foi acordada pelos trabalhadores durante assembleia realizada no último domingo (19). 

De acordo com o Sindicato dos Empregados em Transportes Metroviários e Conexos de Minas Gerais (Sindimetro-MG), a paralisação foi convocada em caráter de urgência após a publicação de uma resolução do Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI), do Governo Federal. A medida impossibilita que os empregados de Belo Horizonte solicitem transferência para outras unidades

Em nota, o Sindimetro manifesta conhecimento de que a greve afetará os usuários do metrô, mas afirma que a atitude é decisiva para a categoria. “[A resolução] é uma situação limítrofe entre a privatização da empresa e a demissão dos funcionários concursados lotados em Belo Horizonte”, justificam.

Leia mais:
PBH chega a acordo com Setra, e preço da passagem de ônibus vai cair para R$ 4,30
Mineiros estarão vacinados com duas doses até o Carnaval, avalia secretário Fábio Baccheretti