O novo preço das passagens de ônibus em Belo Horizonte poderá ser definido em reunião nesta quinta-feira (16) entre o prefeito Alexandre Kalil (PSD) e representantes do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo (Setra-BH). Na semana passada, o mandatário afirmou que não haveria aumento de tarifa neste fim de ano. No entanto, uma nova conversa aconteceu nessa quarta-feira (15), mas terminou sem acordo.

Este será pelo menos o quarto encontro entre a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) e o Setra-BH, e está agendado para 16h. Segundo Kalil, detalhes e até mesmo números que darão base a uma potencial decisão serão apresentados.

A gratuidade do bilhete para deficientes, idosos e para carteiros está entre os temas da reunião. Porém, o mandatário avalia que a isenção da passagem para alguns grupos não pode influenciar o preço, pois não faz sentido assumir uma despesa que não dê benefícios ao usuário.

“Queremos de fato aliviar a gratuidade, mas hoje o Setra não consegue congelar as tarifas, e a prefeitura não vê como assumir a gratuidade sem isso. É uma questão de matemática para fecharmos essa conta”, explicou em entrevista coletiva, nessa quarta.

Para o presidente do Setra, Raul Leite, a incidência de custos externos também foi de grande influência no impasse. Além disso, a alta do diesel, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), bem como a inflação, também entram na conta. 

“O contrato inteiro não será resolvido em 24 horas. O objetivo aqui é deixar o sistema de transporte em operação para a população. E nesse sentido, vamos continuar na mesa para melhorar o contrato para 2022”, afirmou, em pronunciamento à imprensa.

Leia mais:

Liminar da justiça é derrubada e projeto de lei que congela IPVA avança para sanção de Romeu Zema
Região Centro-Sul de BH ganha reforço policial para aumentar segurança nas compras de Natal