A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) retornará às atividades presenciais a partir de 10 de janeiro de 2022. Inicialmente, a retomada será apenas do setor administrativo, enquanto dos alunos está previsto apenas para março, com o início do primeiro semestre do próximo ano letivo. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (15), em nota à comunidade. 

Desta forma, a UFMG avançará para a Etapa 3 do Plano de Retorno Presencial, que prevê a ocupação de 100% das instalações físicas da universidade. No documento, a reitora Sandra Regina Goulart Almeida e o vice-reitor Alessandro Fernandes Moreira situam que a mudança ocorre em razão do atual contexto epidemiológico. 

“A partir da redução expressiva na morbidade e letalidade da Covid-19, proporcionada pela ampla cobertura vacinal, o Comitê Permanente da UFMG de Enfrentamento ao Coronavírus indicou que há condições seguras para ocupação presencial dos espaços físicos, sem restrição quanto ao teto máximo de pessoas”, diz a nota.

Além disso, o texto afirma que haverá a manutenção das medidas sanitárias essenciais, como o uso de máscaras, o distanciamento social, a higiene das mãos e a ventilação dos ambientes.

“Serão divulgadas oportunamente novas recomendações para o planejamento das atividades acadêmicas, a serem aprovadas pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE), e das atividades administrativas, a serem conduzidas pela Pró-Reitoria de Recursos Humanos, segundo as instruções normativas em vigor”.

Em caso de agravamento dos indicadores epidemiológicos e assistenciais das cidades, pode haver retrocesso à etapa anterior. “As decisões institucionais seguirão sendo tomadas de forma cautelosa e criteriosa, a partir do monitoramento rigoroso da situação, com o acompanhamento cuidadoso da vacinação de servidores e estudantes e do monitoramento de casos e da situação pandêmica”, conclui.

Leia mais:

Mesmo suspenso pela Justiça, projeto que congela IPVA em Minas é aprovado na Assembleia; entenda
Reunião entre prefeitura e Setra sobre tarifa de ônibus termina com novo impasse