A estudante de mestrado na Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) Bárbara Gosziniak Paiva, 28, criou a Aqualux, uma garrafa portátil que filtra, esteriliza e refresca água, além de carregar a base de energia solar. A estudante concorreu com outras 443 equipes. Sua  invenção impressionou a bancada de jurados do Red Bull Basement, desafio de incentivo à criação de soluções tecnológicas, e  irá representar o Brasil na Final Global em Istambul, na Turquia, que começa nesta seguda-feira (13) e vai até a quarta (15).

Formada em Engenheira Ambiental, Bárbara conta que a ideia do projeto surgiu durante seu mestrado de Engenharia de Materiais, na UFOP, onde estuda a esterilização de parasitas via radiação. "Pensei em aplicar isso para ajudar as pessoas de forma simples e viável", disse em entrevista a publicação do Redbull, responsável pelo prêmio. De acordo com Bárbara, o principal objetivo da criação é democratizar o acesso à água potável. "O projeto está sendo desenvolvido também pensando em facilitar a vida de esportistas e campistas, mas o foco principal é democratizar a água potável para pessoas que não têm acesso a saneamento básico", detalhou.

Para conquistar a vaga de finalista, Bárbara teve uma longa trajetória na competição, desde uma avaliação da comunidade local entre os meses de setembro e outubro, que foi levada em conta para a decisão final do painel de jurados, até a seleção dos 10 projetos finalistas.

“O Aqualux é um produto extremamente interessante dadas as suas características técnicas e do ponto de vista dos benefícios que oferece", comenta Tallis Gomes, fundador da Easy Taxi e um dos jurados da competição. "Agora, precisamos focar no desenvolvimento de alguns pontos: tornar o empreendimento escalável, mapear os diferenciais competitivos mais atrativos para os investidores e ampliar o mercado de potenciais consumidores", concluiu.