As fortes e inesparadas chuvas que atingem a região do Vale do Jequitinhonha, desde quarta-feira (8), elevaram o número de desabrigados e desalojados em Minas Gerais, de acordo com dados da Defesa Civil do Estado.

Nas últimas 48 horas, a quantidade de pessoas desabrigadas subiu de 406, na sexta-feira (10), para 1.979 registros neste domingo. O número é quase cinco vezes maior. Já no caso dos desalojados, saiu de 3.872 há dois dias, para 9.565.

No Vale do Jequitinhonha, 31 municípios se mantêm em estado de emergência. Houve cinco mortes registradas durante este período chuvoso. Os feridos chegam a 48.

Apesar as condições climáticas nesse domingo (12) serem melhores do que nos últimos dias, o órgão continua empenhado em minoras os efeitos do temporal que castigaram uma região que, normalmente, convive  com secas.

"Numa região que, historicamente, sofre com efeitos de secas, esse fenômeno de alto índice pluviométrico trouxe transtornos. Estamos usando todo o aparato do Estado para dar assistência e promover o retorno à normalidade", afirma a tenente-coronel Gracielle Rodrigues Santos, secretária-executiva da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais.

Na manhã deste domingo, a tenente-coronel estava em Águas Formosas, uma das cidades mais atingidas. Ela e sua equipe multidisciplinar se deslocariam para Almenara, onde dois distritos conntiuam ilhados.

"Estamos mantendo uma ação emergencial no lugar, enviando água e alimentos a partir de uma trilha precária. Vountários estão nos ajudando e aeronaves estão promovendo o traslado de pessoas", registra.

Leia mais: 
Bolsonaro sobrevoa neste domingo áreas atingidas pelas chuvas em Minas e na Bahia
Caixa vai liberar FGTS para cidades atingidas pelas chuvas em Minas e na Bahia
Bar mais antigo, abrigo antiaéreo e igreja da baleia azul; uma BH que talvez você não conheça