Apesar das festividades de final de ano, tradicionalmente, aquecerem o comércio em dezembro, as compras de presentes de Natal serão "tímidas" em Belo Horizonte. É o que diz um levantamento do Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de MG (Ipead) da UFMG.

Segundo a pesquisa “Pretensão de compra para o Natal”, 58% dos entrevistados pretendem presentear alguém na data festiva deste ano. No entanto, o percentual está bem abaixo se comparado aos dos últimos anos. Em 2020, por exemplo, apesar de ter sido um ano de maior restrição social por causa da Covid-19, 64% dos moradores da capital tiveram a intensão de presentear uma pessoa.

Outro indicador que sofreu queda foi a previsão de gasto médio com os presentes de Natal. Dentre os consumidores que pretendem presentear, a pesquisa mostrou que 34% pretendem gastar, em média, um valor acima de R$ 50, e 35% tem a intenção de gastar mais de R$ 100 com cada presente.

A pesquisa mostrou que caiu também o valor médio dos presentes, de R$ 111,86 para R$ 86,77 o que representa uma queda de 22% comparado com 2020.

Pesquisa

Desenvolvida pela Ipead, a pesquisa sobre a pretensão de compra para o Natal, tem o objetivo de avaliar as expectativas de compra dos consumidores da capital mineira para a data comemorativa. 

Os resultados obtidos com o levantamento permitem ao empresário do comércio varejista de BH avaliar as opiniões e as expectativas dos consumidores, o que pode proporcionar um planejamento melhor do negócio em termos de estoques, contratações, investimentos, dentre outros. 

Leia mais:
Praça da Liberdade inaugura luzes de Natal nesta terça
Ouro Preto recebe exposição do 49º Concurso Nacional de Presépios