Poucos minutos depois do fechamento dos portões no campus da PUC, no bairro Coração Eucarístico, na região Noroeste de BH, foi registrado o primeiro caso de estudantes que não puderam fazer a prova do Enem. Maria Eduarda Sabino, de 17 anos, estava com tudo pronto, mas a falta de um documento de identidade impediu que a jovem fizesse a prova.

"Assim que cheguei na sala, me pediram o documento. Foi quando vi que não estava com ele e não poderia fazer a prova", lamenta. A jovem faria a prova junto com a mãe e o irmão, que também se inscreveram para o Enem, na mesma sala de aplicação.

"Não tive o que fazer, viemos todos juntos e agora não vou fazer a prova", ela diz. Apesar da frustração, Maria Eduarda, que iria fazer o exame como trainee, disse que está confiante de que, no ano que vem, tudo vai ser diferente.

"Eu estudei bastante e me preparei; antes de sair de casa, mesmo, estava revisando a matéria. Isso serve de aprendizado agora, tanto pelo estudo como pela atenção com os documentos. Ano que vem vai correr tudo bem", finalizou.

Leia mais:

Provas do exame nacional deste ano terão 48% menos candidatos na capital

Candidatos em BH acreditam que situação política no Brasil pode influenciar nas provas do Enem