A busca por socorro em tempos de pandemia fez com que mais de 45 mil famílias em situação de extrema pobreza solicitassem o Auxílio Belo Horizonte nas primeiras seis horas de abertura do sistema, ontem, mesma data em que o governo federal iniciou o pagamento do Auxílio Brasil, programa que substitui o Bolsa Família. A expectativa da Prefeitura de BH é atender cerca de 300 mil grupos familiares.

Podem solicitar o benefício – destinado ao enfrentamento das consequências sociais e econômicas provocadas pela pandemia – famílias inscritas no CadÚnico, além de outros 19 grupos. Todo o processo é feito pela internet e o valor mensal pode chegar a R$ 400.

O pagamento da primeira parcela será realizado no mês seguinte ao da solicitação, por meio de depósito bancário em nome do responsável. Desta forma, quem fizer o registro até 30 de novembro recebe o benefício em 15 de dezembro.

Pagamento da primeira parcela será feito em 15 de dezembro para quem concluir solicitação até dia 30 deste mês

Os cadastros feitos no mês que vem terão o pagamento liberado até 15 de janeiro de 2022. A família que se inscrever em janeiro receberá o dinheiro até 15 de fevereiro, e quem fizer o pedido até essa data poderá sacar no prazo máximo de 10 de março.

Além do benefício mensal de R$ 100, as famílias podem acumular outros valores, desde que se encaixem nas categorias. Aqueles em situação de pobreza irão receber R$ 600, em seis parcelas. Já aos grupos que se encontram em extrema pobreza, será concedido R$ 1,2 mil, pagos em parcelas de R$ 200.

As famílias em condição de extrema pobreza que tenham também alunos matriculados na rede pública municipal poderão receber até R$ 400 por mês. A previsão de orçamento para o auxílio é de R$ 239,5 milhões, sendo R$ 160 milhões provenientes de verbas da PBH e o restante disponibilizado pela Câmara Municipal.

Uma moradora da capital que trabalha como auxiliar administrativa e pediu para não ser identificada espera receber o benefício, pois se encaixa nos requisitos estipulados pela administração municipal. “Se sair, será usado para gastos do meu futuro neném, pois é uma ajuda muito bem-vinda no momento que estamos vivendo, ainda mais sendo a única fonte de renda em casa, agora com dois filhos”.

Ajuda federal

Cerca de 14,5 milhões de famílias começaram a receber, ontem, a primeira parcela do Auxílio Brasil. As datas seguirão o modelo do Bolsa Família, que pagava os beneficiários nos dez últimos dias úteis do mês, com base no dígito final do Número de Inscrição Social (NIS).

Quem recebia o antigo programa social não precisará ir aos centros de Referência de Assistência Social para refazer o cadastro. Apenas nos casos em que o usuário precisar atualizar informações, como mudanças na família e na documentação do responsável familiar há menos de dois anos, será necessário procurar o Cras para atualizar os dados.

Leia também:
Consulta ao Auxílio Belo Horizonte começa nesta quarta-feira; veja quem tem direito e como proceder
Moradores de 83 e 82 anos, de BH, serão imunizados com terceira dose contra a Covid nesta sexta
Contagem faz busca ativa na casa de jovens que não tomaram a segunda dose da vacina contra a Covid
Megaoperação prende 37 pessoas suspeitas de cometer crimes contra o patrimônio em Minas