Uma mulher de 19 anos, grávida, foi presa na vila Barragem Santa Lúcia, região Centro-Sul de BH, na última sexta-feira (12), suspeita de maltratar a filha de um ano e dois meses. Segundo a Polícia Civil (PC), ela será indiciada por lesão corporal grave e tortura.

A PC cumpriu um mandado de prisão preventiva após investigar, desde setembro, o caso de maus-tratos relatado por médicos de uma UPA no Barreiro. Eles informaram a situação da criança à corporação. 

De acordo com a polícia, o pai da bebê identificou hematomas no corpo da filha e a levou à unidade de pronto-atendimento. Na UPA, médicos perceberam que ela apresentava lesões provocadas por mordidas e fraturas nas pernas e braços. A criança precisou ficar internada. 

O quadro de saúde da menina é considerado delicado e necessita de cuidados médicos constantes. Ela está num abrigo e terá a guarda definitiva decidida judicialmente.

“Vamos acionar o Judiciário para que, imediatamente após o nascimento, a criança seja retirada da mãe”, afirma a delegada do caso, Iara França, sobre a gravidez da acusada.

Amigos da suspeita que foram ouvidos pela PC revelam que ficavam com a criança de um ano e dois meses enquanto a mãe frequentava festas. Eles também serão investigados.

A delegada-geral Carolina Bechelany, chefe do Departamento de Investigação, Orientação e Proteção à Família, salienta a importância de denunciar maus-tratos. “Somos todos responsáveis pelas crianças. Se alguém souber de crianças que estejam sofrendo violência física ou psicológica, denuncie. Elas estão pedindo socorro, não conseguem fazer isso sozinhas”.

Leia mais:
Policial Militar é condenado por matar jovem durante festa de carnaval em 2018, em Sabará
Prefeitura entrega nova sede do Centro de Saúde Zilah Spósito na região Norte de BH