Vereadores denunciam que há escolas municipais em BH que não receberam uniforme e material escolar e que não há ainda previsão para a entrega. O tratamento diferenciado a alunos de várias regiões da cidade causou estranhamento aos parlamentares e motivou um pedido de informações à Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), que será questionada em uma audiência pública. 

A Comissão de Educação, Ciência, Tecnologia, Cultura, Desporto, Lazer e Turismo aprovou, a pedido do vereador Pedro Patrus (PT), um requerimento solicitando informações sobre a adoção de ações diferenciadas em escolas de educação infantil. Patrus informou que os uniformes e kits com o material escolar completo não foram distribuídos em todas as Escolas Municipais de Educação Infantil (Emeis). Ele denuncia também que pais reclamam que nem todos os professores dão retorno sobre o desempenho dos alunos. “Receamos que o tratamento diferenciado entre Emeis de regiões diferentes do município possa promover a segregação social”, justificou.

Os parlamentares querem saber qual o critério adotado pela PBH para o fornecimento do kit escolar e quantas e quais as Emeis que já receberam os itens. O requerimento questiona, ainda, se existem, para os professores, orientações sobre o procedimento de retorno de desempenho dos alunos às famílias.

Na solicitação que foi aprovada nesta quinta-feira (11) na reunião da comissão na Câmara Municipal de Belo Horizonte, os vereadores também querem saber do município se crianças com deficiência matriculadas na educação infantil estão recebendo atendimento especializado. No documento, a vereadora Duda Salabert (PDT) solicita informações sobre o número de crianças com deficiência matriculadas nas redes pública e privada, sobre a taxa de retenção deste público e sob quais justificativas. 

O requerimento também vai investigar a quantidade de crianças que conta com Atendimento Educacional Especializado (AEE); quantos profissionais trabalham no AEE e as respectivas áreas de atuação; e, ainda, se as crianças da rede privada também têm atendimento especializado. 

Leia também:

Decisão judicial suspende reunião da CPI de uso da máquina pública na Câmara Municipal de BH
Prazo de consulta pública para concessão de áreas do Parque das Mangabeiras é prorrogado