O Conselho Estadual de Educação emitiu nesta quinta (11), um documentque permite que as escolas privadas e municipais tornem as aulas presenciais obrigatórias. Desde o dia 03 de novembro, apenas alunos da rede estadual seguem este modelo.

O documento informa que, as atividades escolares regulares nas unidades de ensino "poderão ser realizadas de forma presencial, com retorno obrigatório dos estudantes, a partir de decisão da própria rede e tomando-se por base a data a ser estabelecida para o retorno presencial”.
Segundo o informativo, os gestores escolares deverão informar às famílias sobre a obrigatoriedade e a data de retorno do ensino presencial.
A nota do Conselho, no entanto, indica que as escolas deverão especificar hipóteses em que as atividades de ensino presencial poderão ser complementadas ou alternadas com atividades de ensino remoto. E orienta que o retorno não seja obrigatório para estudantes que pertencentem ao grupo de risco para a covid-19.

Para o Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais SINEP/MG, o documento do Conselho Estadual é de caráter orientativo e as cidades que não tiverem Conselho Municipal de Educação devem avaliar junto às respectivas prefeituras os indicadores da covid-19, para decidir a possibilidade da retomada presencial obrigatória. “O Sindicato vê com bons olhos a questão do retorno nas aulas nas escolas privadas, mas aconselhamos que as escolas sigam as orientações das prefeituras, cumprindo as medidas sanitárias de combate à pandemia de covid-19, e atentos ao comportamento do vírus na cidade”.

O início das aulas na rede privada de ensino no estado teve início no dia 01 de fevereiro em todo o estado, no entanto, a ida à escola era facultativa.

Leia também:
Chance de Carnaval seguro em Minas depende de avanço da vacinação contra a Covid, diz secretário
'Flexibilização do uso de máscaras em Minas será gradativo', afirma secretário de Saúde