Foi anunciado, nesta quinta-feira (11), o mapeamento das emissões e da captura de carbono da cadeia produtiva das 200 maiores indústrias de Minas. O evento foi realizado durante a COP-26 em Glasgow, na Escócia, onde o governador Romeu Zema (Novo) participa de conferência internacional sobre o clima.

O objetivo do mapeamento, segundo o Executivo estadual, é que as empresas contribuam para o alcance das metas climáticas e de preservação do ambiente. O governador ainda reforçou o compromisso de Minas com o desenvolvimento sustentável. 

“Queremos deixar claro que o produto mineiro será produzido com preocupação ambiental. Em Minas Gerais, o setor produtivo atende à nossa adesão ao Race to Zero (Corrida para o Zero), tanto a indústria quanto a agricultura, o que é uma importante parceria. Temos investido na redução do carbono e Minas tem total condições de contribuir com essa ação mundial”, afirmou.

O material apresentado por Minas Gerais foi feito em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg) e a Fiemg. Trata-se de iniciativas, ações e projetos voltados para a economia de baixo carbono, além de medidas de enfrentamento às mudanças climáticas.

A atuação das empresas, para o presidente da Fiemg, Flávio Roscoe, será um primeiro contato com as iniciativas, que podem ser discutidas e melhoradas. “Essas primeiras 200 indústrias são importantes para que possamos fazer um diagnóstico do setor. Isso é necessário para vermos o que é preciso fazer e quais são as leis que interferem, hoje, no meio ambiente e na indústria", explicou.

"Começaremos com essas 200 grandes indústrias em Minas para ampliarmos isso no futuro. É um marco. Vamos avaliar, ver as leis e propor mudanças junto ao parlamento e o Governo”, finalizou o empresário.

Leia mais:
Uso da máscara de proteção contra a Covid deve ser flexibilizado 'em breve', diz Zema
Documento favorável à permanência do ensino híbrido é elaborado pelo Conselho Nacional de Educação