Um homem suspeito de armazenar conteúdo pornográfico infantil foi preso nesta terça-feira, no bairro União, na região Nordeste de Belo Horizonte. O jovem de 34 anos era professor de Educação Física em um colégio tradicional da capital.

De acordo com a Polícia Civil, ele teria usado um perfil falso nas redes sociais para manter contato com meninas entre 9 e 12 anos e pedia, muitas vezes sob ameaça, que as vítimas enviassem fotos delas nuas. O delegado da Delegacia de Investigação de Crimes Cibernéticos, Magno Machado, informou que algumas mães de alunas da escola em que o homem lecionava procuraram a delegacia e relataram que suas filhas estavam recebendo pedidos de envio das imagens. Ele explicou também que, no momento das denúncias, os investigadores não tinham suspeita de quem estaria por trás do perfil falso.

Durante o cumprimento do mandado de prisão e busca e apreensão, o homem disse que possuía material com pornografia infantil. Mas, ao ser conduzido para a delagacia, confessou que reúne conteúdo dessa natureza desde os 15 anos de idade; que não compartilhava as fotos e as  mantinha para “saciar seus desejos”. Além disso, o professor contou à polícia que foi abusado sexualmente na infância. 

Os investigadores acreditam que dezenas de meninas tenham sido vítimas do suspeito. Nos equipamentos eletrônicos apreendidos, a perícia encontrou um “expressivo volume” de imagens de crianças nuas. Para o chefe da Divisão Especializada de Investigação aos Crimes Cibernéticos e Defesa do Consumidor, delegado Renato Nunes Guimarães, é importante que as atividades de crianças e adolescentes na web sejam monitoradas para evitar que crimes como esse aconteçam.

O suspeito foi preso em flagrante e encaminhado para o presídio. Se for condenado, poderá cumprir até quatro anos de prisão em regime fechado, além de pagar de multa. 

Material apreendido durante operação da Polícia Civil

Leia também
Arquidiocese de BH afasta padre suspeito de assediar mulheres em Santa Luzia
PBH cria grupo para investigar supostas irregularidades em contratos da BHTrans firmado em 2008