O corpo do caseiro do sítio em que estavam os 25 suspeitos mortos durante a operação conjunta da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal, no dia 31 de outubro, em Varginha, no Sul de Minas, foi liberado pelo Instituto Médico Legal de Belo Horizonte nesta segunda-feira (8). Adriano Garcia, 47 anos, era natural de Elói Mendes, município próximo à cidade mineira. Seu corpo foi entregue a familiares que estiveram no IML. 

De acordo com a Polícia Militar, o homem era suspeito de integrar a quadrilha responsável por diversos assaltos a bancos no Estado. Durante a ação policial em outubro, foram apreendidas diversas armas e munições de alto calibre.

A identificação de Adriano, assim como a dos outros 25 suspeitos, foi feita por meio de DNA. Segundo a Polícia Civil, o procedimento foi uma atuação conjunta das equipes dos Institutos Médico Legal, de Identificação e de Criminalística da corporação. 

Identificação 

No último domingo (7) a Polícia Civil de Minas informou que todos os suspeitos mortos durante a operação contra o Novo Cangaço, em Varginha, no dia 31 de outubro, já tinham sido identificados. Os reconhecimentos foram feitos a partir de exames datiloscópicos. As impressões digitais foram coletadas e comparadas com dados de um banco nacional para verificar uma possível correlação dos homens com outros crimes já cometidos. A investigação ainda vai analisar veículos, armas e as casas usadas pelo grupo. 

Segundo a lista divulgada pela corporação, o bando era composto por 13 pessoas de Minas Gerais, cinco de Goiás, duas do Distrito Federal, uma de Rondônia, duas do Maranhão, uma de São Paulo, uma do Amazonas e uma do Pará - veja a lista com os nomes no final da matéria. 

O que é “novo cangaço?”

A expressão é antiga e remonta ao cangaço, uma onda de crimes e violência ocorrida em quase todo o sertão nordestino do país entre o século XVIII e meados do século XX.

As ações desse tipo de quadrilha, geralmente composta por 30 a 40 criminosos, são sempre marcadas por extrema violência, de preferência durante a madrugada, em cidades do interior, e com armamentos pesados para impedir a reação da polícia próxima ao local da ação.

Em Minas Gerais, o último crime desse tipo ocorreu em  2019, quando um grupo formado por 25 bandidos fortemente armados atacou um banco em Uberaba, no Triângulo, deixando vários feridos e um morto.

No Brasil, no fim de agosto deste ano, ao menos 20 criminosos com armamento pesado invadiram Araçatuba, no interior de São Paulo, promovendo explosões e quebra-quebra em agências bancárias. A ocorrência terminou com três mortos, sendo dois moradores e um suspeito de participar dos ataques. 

Veja a lista dos corpos identificados: 

  1. Artur Fernando Ferreira Rodrigues, 27 anos, Uberaba (MG);
  2. Daniel Antonio de Freitas Oliveira, 35 anos, Uberlândia (MG);
  3. Darlan Luiz dos Santos Brelaz, 41 anos, Goiânia (GO);
  4. Dirceu Martins Netto, 24 anos, Rio Verde (GO);
  5. Eduardo Pereira Alves, 42 anos, Brasília (DF);
  6. Evando José Pimenta Junior, 37 anos, Uberlândia (MG);
  7. Francinaldo Araújo da Silva, 44 anos, Eugênio Barros (MA);
  8. Gerônimo da Silva Sousa Filho, 28 anos, Porto Velho (RO);
  9. Gilberto de Jesus Dias, 29 anos, Uberlândia (MG);
  10. Giuliano Silva Lopes, 32 anos, Uberlândia (MG);
  11. Gleisson Fernando da Silva Morais, 36 anos, Uberaba (MG);
  12. Isaque Xavier Ribeiro, 37 anos, Gama (DF);
  13. Itallo Dias Alves, 25 anos, Uberaba (MG);
  14. José Filho de Jesus Silva Nepomuceno, 37 anos, Caxias (MA);
  15. José Rodrigo Dama Alves, 33 anos, Uberlândia (MG);
  16. Julio Cesar de Lira, 36 anos, Santos (SP);
  17. Luiz André Felisbino, 44 anos, Ipameri (GO);
  18. Nunis Azevedo Nascimento, 33 anos, Novo Aripuanã (AM);
  19. Pietro Henrique Silva da Fonseca, 20 anos, Uberlândia;
  20. Raphael Gonzaga Silva, 27 anos, Uberlândia (MG);
  21. Ricardo Gomes de Freitas, 34 anos, Uberlândia (MG);
  22. Romerito Araujo Martins, 35 anos, Goiânia (GO);
  23. Thalles Augusto Silva, 32 anos, Uberaba (MG);
  24. Welington dos Santos Silva, 31 anos, Parauapebas (PA);
  25. Zaqueu Xavier Ribeiro, 40 anos, Goiânia (GO);
  26. Adriano Garcia, 47 anos, Elói Mendes (MG).

Leia também
Taxa de transmissão da Covid em Belo Horizonte segue em queda; capital permanece em nível verde
Começam depoimentos sobre o acidente com Marília Mendonça e destroços vão para o Rio de Janeiro