A Polícia Civil de Caratinga liberou, na manhã deste sábado (6), os dois últimos corpos das vítimas do acidente de avião que matou a cantora Marília Mendonça e outras quatro pessoas, na tarde de sexta-feira (5), na cidade mineira do Vale do Rio Doce. Representantes da empresa de táxi aéreo PEC entregaram os documentos do piloto Geraldo Martins de Medeiros e do co-piloto Tarciso Pessoa Viana, o que possibilitou a liberação dos corpos, que estavam no IML da cidade, no Vale do Rio Doce.

Na madrugada deste sábado, os corpos de Marília Mendonça, do tio e assessor, Abicieli Silveira Dias Filho, e do produtor, Henrique Ribeiro, foram liberados e transportados para Goiânia (GO). Já os corpos do piloto e co-piloto serão encaminhados para Brasília (DF), segundo a Polícia Civil.

 

Tragédia

Na tarde desta sexta-feira (5), o avião que transportava Marília Mendonça caiu em uma cachoeira, na zona rural de Piedade de Caratinga.  A aeronave decolou de Goiânia e seguia para Caratinga, cidade também no Vale do Rio Doce, onde a artista faria um show na noite da sexta. Todos que estavam na aeronave morreram. O resgate das vítimas demorou cerca de três horas, já que o avião estava em uma área de difícil acesso. Equipes do Samu, bombeiros militares e policiais atuaram na retirada dos corpos.

De acordo com o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas, os ocupantes estavam presos entre as ferragens. Os primeiros a serem resgatados foram os passageiros, já  que o piloto e o co-piloto estavam em áreas mais difíceis.

A Seripa, órgão ligado à Força Aérea Brasileira responsável pela investigação de acidentes aéreos, informou que irá apurar as causas do acidente. Os investigadores do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos virão do Rio de Janeiro na manhã deste sábado (6) para dar início ao trabalho de perícia da aeronave e avaliação das condições de voo. Segundo a Cemig, a aeronave atingiu um cabo de alta tensão da companhia momentos antes da queda.

A artista estava em um bimotor Beech Aircraft, da PEC Táxi Aéreo, de Goiás, prefixo PT-ONJ, com capacidade para seis passageiros. Segundo informações da Anac, o avião estava em situação regular.