A variante Delta do coronavírus já aparece em 100% das amostras analisadas, prevalecendo em relação às demais em circulação no território. Já são 1.119 pessoas contaminadas pela cepa, em 171 municípios. Por aqui, a maior parte dos casos foi registrada em Belo Horizonte: 188. A capital mineira é seguida por Juiz de Fora, na Zona da Mata, que soma 181 notificações. 

Na prática, segundo especialistas, quando levamos em conta o ponto de vista de saúde pública, podemos considerar que apenas a Delta circula no Estado atualmente. No entanto, ainda é possível ter a circulação residual de outras variantes, como explica o pesquisador do Departamento de Genética, Ecologia e Evolução da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Renan Pedra.

“Formalmente ainda não podemos dizer que só a Delta circula em Minas, pois ainda pode ter circulação da Gama e eventual importação de outras linhagens decorrente da maior circulação de pessoas e viagens internacionais. Mas do ponto de vista de saúde pública, podemos considerar somente a Delta”, considerou o professor.

“Estar sem a imunização neste momento é jogar numa roleta-russa”
Renan Pedra - Pesquisador do Departamento de Genética, Ecologia e Evolução da UFMG

Em BH, foco principal da Delta em Minas, a cepa avança em meio às novas flexibilizações no funcionamento do comércio e serviços e ao aumento da taxa de transmissão do vírus – em nível de alerta amarelo há dez dias, ou seja, acima de 1 no gráfico dos indicadores que monitoram a pandemia. Aqui, uma pessoa foi morreu devido à cepa.

Vacinação

Em Minas, a incidência do coronavírus caiu 36% nos últimos 14 dias. Já as internações, no geral, tiveram redução de 15,6%. Ambos puxados pela vacinação, que já alcança 65% da população acima de 12 anos. Todos com o ciclo vacinal concluído.

Em relação à aplicação da primeira dose, o índice chega a 88%. E para seguir barrando a variante e os casos mais graves da doença, o caminho é um só: continuar seguindo as medidas de segurança, assim como garantir a imunização contra a doença, não deixando de retornar aos postos de saúde para receber a segunda dose.

“Os dados mostram que a mortalidade nesse momento da pandemia está fortemente associada a pessoas que não se vacinaram ou não completaram o esquema vacinal. Com o retorno de diversas atividades, é esperado que cadeias de transmissão sejam geradas, podendo encontrar uma pessoa não vacinada. Estar sem a imunização neste momento é jogar numa roleta-russa”, alerta Renan Pedra.

Perfil

A variante Delta, considerada mais transmissível, foi registrada em mineiros de 1 mês a 95 anos. Em 615 casos (54,9%), a variante foi detectada em mulheres.

Já o número de óbitos segue estável. Foram nove vidas perdidas de pessoas de 36 a 83 anos, sendo cinco do sexo feminino e quatro do masculino. Além de Belo Horizonte, eles eram de Contagem, Piraúba, Caratinga (2), Rio Novo, Claro dos Poções, Uberaba e Cabeceira Grande.

Leia também:
BH aplica segunda dose contra Covid em moradores de 20 e 21 anos nesta sexta; veja locais
BH chega ao décimo dia consecutivo com taxa de transmissão da Covid em nível de alerta
Covid-19: Brasil registra 13,3 mil casos e 436 mortes em 24 horas