O presidente do Sindicato das Empresas Transportadoras de Combustível e Derivados de Petróleo de Minas Gerais (Sindtanque-MG), Irani Gomes, subiu o tom da cobrança ao presidente Jair Bolsonaro em virtude da alta de preços nos combustíveis no país. Em novo vídeo divulgado nesta quarta-feira (29), ele acusa Bolsonaro de ter perdido o controle da Petrobras e reafirma que os tanqueiros podem parar em breve.

Na avaliação do sindicalista, os acionistas da companhia descobriram onde ganhar dinheiro. Ele também afirma que, por causa do aumento nos combustíveis, os preços de itens de supermercado também se elevam.

O novo alerta de paralisação da categoria feito por Gomes acontece um dia depois do aumento no preço do óleo diesel anunciado pela Petrobras e que tem como base a "elevação nos patamares internacionais de preços do petróleo e a taxa de câmbio". 

O preço médio cobrado nas refinarias deve aumentar aproximadamente R$ 0,25, ou seja, de R$ 2,81 para R$ 3,06 por litro. O aumento repassado para o consumidor final deve ficar no um pouco abaixo desse patamar, R$ 0,22.      

No início do mês de setembro, o mesmo sindicato chegou a anunciar uma greve da categoria que logo foi suspensa sob o pretexto de uma suposta negociação com o Governo do Estado. Em agosto, o Sindtanque publicou um comunicado informando que iniciaria uma ação "como jamais vista". A ação também não aconteceu.

Veja o vídeo:



 

Leia mais

Após anúncio de aumento no diesel, tanqueiros ameaçam greve em Minas a qualquer momento

Tanqueiros tentam negociação com governo de Minas e suspendem paralisação