Uma vigilante foi assassinada na sede do Ministério da Agricultura, na avenida Raja Gabaglia, bairro Cidade Jardim, região Centro-Sul de Belo Horizonte, na manhã desta quarta-feira (29).

Segundo a Polícia Militar, o crime aconteceu por volta das 7h, durante a troca de turno. As informações iniciais dão conta de que a mulher teria feito uma reclamação sobre as atitudes de um porteiro e não queria trabalhar no mesmo horário que o colega.

Ela estava dentro de um cômodo utilizado para trocar de roupa e tomar café quando teria sido abordada pelo suspeito. De acordo com testemunhas, após gritos, houve três disparos. A vítima morreu no local e o suspeito fugiu. Eles são funcionários terceirizados. 

Conforme a corporação, a perícia e o rabecão foram acionados. Como os funcionários da portaria não trabalham armados, uma das hipóteses é que o homem tomou a arma da colega. 

Em nota, o ministério lamentou o fato e afirmou ter acionado as empresas responsáveis pelos funcionários para que prestem assistência à família da vítima. Veja o comunicado na íntegra:

"Nesta madrugada ocorreu um bárbaro assassinato de uma colaboradora terceirizada, Vigilante noturna, na sede da Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais.

O Crime foi cometido por um porteiro, também colaborador terceirizado.

O Ministério da Agricultura, consternado, lamenta o ocorrido. Já acionou as empresas responsáveis pela portaria e vigilância para que prestem toda a assistência à família da vítima e está colaborando na realização das perícias e investigações necessárias para o trabalho da Polícia”.

Leia mais:

Quadrilha é presa suspeita de aplicar golpes em concessionárias de BH e Região Metropolitana
Suspeito de matar mulher e escondê-la nua dentro de guarda-roupas em Santos Dumont está foragido