O secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, tranquilizou mães e adolescentes mineiros quanto à vacinação contra a Covid-19. Durante coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (23), em Belo Horizonte, o titular da pasta fez um apelo para que o grupo não deixe de tomar o imunizante. 

A declaração foi dada um dia após o Ministério da Saúde recuar e voltar a recomendar a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidades. Na semana passada, a pasta federal orientou que estados e municípios não realizassem a imunização, mesmo após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) dizer que não via razão para mudar as condições aprovadas para a vacina da Pfizer/BioNTech.

“Momento de acalmar as mães e adolescentes. O risco de qualquer efeito colateral da vacina é muito pequeno e, se comparado com a doença, se torna menor ainda. A doença continua sendo muito mais perigosa do que qualquer efeito colateral da vacina”, disse, lembrando, ainda, sobre o caso de evento adverso relacionado ao imunizante. 

“Foi esclarecido que aquele óbito em São Paulo não tem a ver com a vacina, então esqueçam esse fato. Isso não aconteceu. A vacina é segura e deve ser dada”, concluiu.

Leia mais:
Vacinação de crianças de 5 a 12 anos contra a Covid é ‘questão de tempo’, diz secretário de Saúde
Cidades de Minas sem estoque da AstraZeneca para 2ª dose poderão aplicar Pfizer
Variante Delta representa metade dos casos de Covid avaliados em Minas, diz secretário de Saúde