A Polícia Civil prendeu, nesta quarta-feira (9), 21 pessoas suspeitas de envolvimento em estelionato em Belo Horizonte. De acordo com as investigações, os detidos eram vinculados a uma agência que prometia emprego mediante o pagamento de um curso.

Segundo a corporação, as investigações foram iniciadas há cerca de uma semana, depois que uma vítima foi até uma delegacia denunciado que pagou R$ 450 à empresa, que havia garantido um emprego após fazer uma capacitação. Quando se deu conta de que a vaga não existia, ela procurou o estabelecimento para solicitar o ressarcimento do montante, que lhe foi negado. 

Os policiais foram até o endereço indicado, um escritório no Centro da cidade, e prenderam os 21 funcionários - 19 mulheres e dois homens - em flagrante. No local, haviam seis possíveis vítimas, que prestaram depoimento. 

Ainda conforme os agentes, a empresa procurava as pessoas através das redes sociais e convocava para entrevistas. O preço cobrado pelo curso variava de acordo com a condição financeira que a vítima apresentava, baseada nas pesquisas nos perfis na internet e perguntas feitas no processo seletivo. De acordo com a Polícia Civil, o pagamento era entre R$ 150 e R$ 1,5 mil. 

Conforme a corporação, o público-alvo era de jovens adultos de baixa classe social, e as vagas geralmente eram para vendas e telemarketing. 

Até então, foram constatadas sete vítimas. Porém, a polícia acredita que mais pessoas foram lesadas pelo grupo. 

Leia mais: 

Pela 1ª vez, Estado tem todas as macrorregiões na Onda Verde do Minas Consciente
Gasolina pesa e inflação oficial fica em 0,87% em agosto, maior taxa para o mês desde 2000
Crise político-institucional abala mercado e fortalece tendência de inflação