Todas as macrorregiões de Saúde de Minas serão mantidas nas ondas em que estão a partir deste sábado (4), data oficial de mudanças no Minas Consciente, plano estadual para a retomada gradual e segura da economia. Assim, das 14 regionais, 13 seguem na Onda Verde (mais flexível) e apenas uma continua na Amarela (intermediária).

As informações foram deliberadas pelo Comitê Extraordinário Covid-19 nesta quinta-feira (2). Dessa forma, Triângulo do Norte, Nordeste, Leste, Centro, Centro-Sul, Oeste, Sul, Sudeste, Vale do Aço, Jequitinhonha, Norte e Noroeste seguem no nível mais flexível do plano. Apenas o Triângulo do Sul continua na Onda Amarela. 

De acordo com o Estado, a manutenção das macrorregiões nas mesmas ondas se deve à melhora dos indicadores de acompanhamento da pandemia, incluindo a taxa de incidência da doença, que caiu 10% nos últimos dias no território mineiro. Outro motivo é o avanço na vacinação. 

Segundo o secretário de Estado de Saúde, o médico Fábio Baccheretti, até novembro todos os adultos mineiros deverão ter tomado a segunda dose da vacina. Atualmente, entre as pessoas acima de 18 anos, a cobertura vacinal da primeira dose chega a 80,38%. Já a da segunda dose e/ou dose única está em torno de 35,67%. 

“A incidência da doença hoje é igual ao pico de 2020. Estamos batendo, agora, com tendência de queda. A grande diferença é que naquele momento ainda não tínhamos vacina. Atualmente, as notificações estão em baixa, o que indica que menos pacientes estão procurando atendimento médico”, explicou Baccheretti. 

Leitos

Os números do sistema SUSFácilMG, de fato, mostram que 15 pessoas em todo Estado estavam na fila para um leito de UTI às 7h30 desta quinta-feira. Outras 95 aguardavam vagas para leitos de enfermaria. 

Segundo o secretário, com a melhora do cenário da pandemia, muitos municípios estão desmobilizando leitos que estavam exclusivos para UTI Covid-19 e voltando a realizar outros atendimentos, como as cirurgias eletivas. “Estamos observando que não há nenhuma pressão nos leitos de UTI”, disse.

Neste mês

O chefe da SES-MG ainda afirmou que a expectativa é que em setembro sejam imunizados os adolescentes em Minas. “Temos 1,7 milhão de jovens nessa faixa, vamos priorizar a vacinação dos que têm comorbidades, e depois chegamos aos demais”. 

Além disso, idosos que tomaram a vacina há mais de seis meses também devem receber a dose de reforço neste mês, com público estimado em 300 mil pessoas. Até o momento, o reforço é dado a pacientes com mais de 80 anos e pessoas imunossuprimidas. 

A dose extra aplicada deve ser de um fabricante diferente do que a pessoa tomou. “Para quem se vacinou com CoronaVac, podemos aplicar Pfizer, AstraZeneca ou Janssen”, exemplificou o secretário.

Leia mais:
Câmara aprova reforma com isenção de IR ampliada e cobrança de 15% sobre dividendos
‘Rolezinho da Vacina’ imuniza jovens durante 24 horas em Ribeirão das Neves; confira programação
Mãe tenta defender filho e é assassinada a facadas em João Monlevade; suspeito foi detido