Uma mineira que era mantida em cárcere privado e obrigada a se prostituir foi resgatada pela Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro na quinta-feira (5).

Segundo os agentes, ela foi localizada em uma casa de prostituição no bairro Madureira, na zona Norte da capital fluminense. A vítima foi atraída por uma falsa vaga de emprego em uma lanchonete.

Quando chegou ao Rio, o anunciante a levou para a cidade de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, onde foi obrigada a se prostituir presencialmente e por meio de videochamadas.

Em nota, a PCERJ informou que “a quadrilha retirou seu celular e a manteve em cárcere privado, de onde saía só para fazer os programas, sofrendo diversas ameaças. Ela também foi estuprada mediante violência física pelo líder do grupo criminoso”.

Ainda de acordo com a corporação, o cliente de um programa teria notado o nervosismo da vítima, que tremia muito. A jovem contou das ameaças que sofria e pediu para o homem contatar o ex-namorado dela, em Minas.

Após saber dos fatos, o ex-companheiro entrou em contato com a Polícia Civil de Minas Gerais, que, por sua vez, acionou a PCERJ.

Durante a ação, uma mulher de 22 anos foi presa pelos crimes de organização criminosa, cárcere privado, favorecimento e casa de prostituição. Os policiais também afirmaram já ter identificado três integrantes do grupo criminoso e o líder, que estuprou a vítima.

A Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, que é responsável pela investigação do caso, informou que a jovem retornou a Minas Gerais ainda nessa quinta.

Leia mais:
Homem mata colega de trabalho a facadas e liga para o patrão pedindo perdão
Idoso é preso após chamar mulher de 'macaca de palco', no Centro de BH
Filho do comediante Tony Baker morre após acidente com carros que disputavam racha