Uma semana após a prisão de um foragido pertencente à lista dos 21 alvos mais procurados no Estado, mais um homem nessas condições teve a detenção confirmada durante andamento da operação Procura-se. Dessa vez, a prisão ocorreu no Mato Grosso, no mês passado. A transferência para Minas é aguardada pela Justiça mineira.

De acordo com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais, Varni Clévio Queiroz Souza, de 33 anos, foi localizado pela Polícia Rodoviária Federal, no dia 13 de maio, no município de Cáceres (MT), cidade a cerca de 80 km da fronteira com a Bolívia e que funciona como rota de tráfico de drogas.

O indivíduo foi detido em flagrante junto com outras duas pessoas que o acompanhavam. Ao ser abordado, ele apresentou um nome falso. No entanto, a identidade verdadeira foi descoberta pela Polícia Civil do Mato Grosso no dia seguinte à prisão. Assim, foi possível cumprir o mandado de prisão expedido em Patos de Minas, na região do Alto Paranaíba, que foi convertido em preventivo.

Conforme a pasta estadual, Varni era procurado pelo crime de tráfico de drogas desde o mês de março. O homem aguarda transferência para Minas, onde será julgado. Natural de Lagoa dos Patos, no Norte de Minas, ele é apontado como um dos líderes do tráfico de drogas nos municípios de Pirapora, também no Norte do Estado, e em Patos de Minas.

procura-se

 

Segunda prisão

Com a detenção dele, já são dois os criminosos detidos pela quarta edição do Procura-se. Na semana passada, outro alvo do programa, Clébio Pereira Rosa, de 42 anos, de 42 anos, foi preso em Sete Lagoas, na região Central, com mandados por tráfico de drogas. Ele foi encontrado quando se preparava para fazer compras utilizando documentos falsos.

Procura-se

Conforme o governo de Minas, o programa Procura-se é focado na busca de 21 alvos considerados prioritários para o sistema de Segurança Pública de Minas. Entre eles, estão indivíduos foragidos da Justiça, com mandados de prisão em aberto, a partir da qualificação das ações das polícias e das inteligências por meio de denúncias ao 181 Disque Denúncia. A operação foi lançada no fim de abril deste ano.

O Procura-se é coordenado pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública e tem a parceria da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal e Ministério Público do Estado.

Ainda de acordo com o Estado, ao ligar gratuitamente para o 181 Disque Denúncia para dar informações sobre um dos procurados, o cidadão tem o sigilo e o anonimato garantidos. "Ele poderá fornecer detalhes sobre onde atuam, veículos que utilizam, quem são seus comparsas, quais são seus horários, onde foram vistos ou qualquer detalhe que possa contribuir com o trabalho das forças de segurança", informou, em nota.

Leia mais:
Bolsonaro sanciona lei que amplia Benefício de Prestação Continuada a idosos e deficientes
Governo deve anunciar prorrogação do auxílio nesta semana, diz Guedes
Brumadinho: Zema quer votação do projeto de lei de acordo bilionário com a Vale 'o quanto antes'