Uma homenagem com cruzes e uma faixa aos 500 mil mortos pela Covid-19 no Brasil, sendo 71 deles moradores de Machado, no Sul de Minas, terminou de forma trágica e desrespeitosa. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um munícipe pisoteando os símbolos religiosos e rasgando o cartaz.

A manifestação foi criada por moradores e representantes de movimentos sociais da cidade. O objetivo era prestar uma condolência às vidas perdidas em decorrência da doença, com uma cruz para cada um dos 71 óbitos, e uma faixa com os dizeres "500 mil mortos. 71 pessoas de Machado".

De acordo com o professor e um dos idealizadores do ato, Leonardo Souza Ferreira, que também é presidente do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores (PT) em Machado, a manifestação foi programada para durar apenas durante o último sábado (19), data em que o país chegou à marca das 500 mil mortes.

Durante o fim da tarde, no entanto, um homem chegou ao local e destruiu o material.

Ainda conforme o docente, os organizadores enviaram um ofício à prefeitura e à Polícia Militar, com antecedência, para informar da colocação das cruzes e da faixa na praça.

O caso foi registrado em boletim de ocorrência na PM e o grupo de organizadores avalia os próximos passos. A reportagem entrou em contato com a Polícia Civil para obter informações se o autor foi identificado, mas ainda não houve retorno.

A reportagem também tenta contato com o homem que destruiu o material.

Leia mais:
BH amplia vacinação contra a Covid-19 para todas as gestantes e puérperas sem comorbidades
UAI Praça Sete retoma atendimento de todos os serviços presenciais nesta segunda
Pessoas de 49 anos ou mais serão vacinadas contra Covid, em Contagem, a partir desta terça