A vacinação contra a Covid-19 deve engrenar em Minas agora em junho. Até o fim deste mês, a promessa é a de que o Estado receba mais 4 milhões de imunizantes – para se ter ideia, de janeiro até agora 5 milhões de mineiros tomaram a primeira dose da vacina. Também vai até dia 30 o prazo estipulado pelo governo estadual para proteger toda a população acima de 50 anos. Além disso, o Executivo negocia a compra da fórmula russa Sputnik V.

Segundo o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, a remessa de vacinas prometida será a maior destinada a Minas em um intervalo de 30 dias, desde o início da pandemia. “Se isso (o envio) se confirmar, mostra uma aceleração do processo de vacinação”, avaliou, em entrevista coletiva, ontem. Nessa terça, 237 mil doses da Pfizer desembarcaram no Aeroporto Internacional de Confins, na Grande BH.

O cronograma federal prevê mais 5 milhões de doses para Minas em julho e outras 7 milhões em agosto, número que deve se repetir em setembro. O chefe da pasta estadual lamenta, porém, que raramente o total seja executado pelo Ministério da Saúde. “Este mês, era de pouco mais de 5 milhões, e vamos receber um pouco mais de 4 milhões”.

Com os novos carregamentos, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) vai orientar os municípios a reservar 70% do estoque para a aplicação por idade, enquanto os 30% restante será destinado aos grupos prioritários. A divisão não será obrigatória e caberá às prefeituras seguir, ou não, as diretrizes do Plano Nacional de Imunização. 

Em Belo Horizonte, por exemplo, trabalhadores do transporte coletivo, da limpeza urbana e caminhoneiros, além dos moradores de 59 a 56 anos, mesmo sem comorbidades, vão receber o escudo contra o coronavírus até o fim desta semana. Conforme o PNI, a capital mineira ainda precisa imunizar os profissionais das indústrias, mas não há data definida. 
Segundo o painel Vacinômetro, da SES, os 5 milhões de mineiros que receberam a primeira dose da vacina equivalem a 24,4% da população. Deste grupo, 2,4 milhões já tomaram o reforço.

Negociação 
O governo de Minas negocia, junto ao Consulado da Rússia, a compra da Sputnik V. No último sábado, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a importação do imunizante, mas apenas com a utilização de quantitativos específicos sob condições controladas. 

“Já estávamos em conversa, e agora, com essa autorização, nos abriu uma esperança de conseguir efetivar a compra”, concluiu Baccheretti.