Minas começa a receber a partir desta terça-feira (18) mais 508 mil vacinas contra a Covid-19. As doses serão usadas para completar o ciclo de idosos e proteger pessoas com comorbidades. A 20ª remessa contém unidades da Astrazeneca, CoronaVac e Pfizer. Dois lotes serão entregues nesta terça pelo Ministério da Saúde, na parte da manhã e no fim da tarde, no Aeroporto Internacional de Confins, na Grande BH.

Conforme dados da pasta nacional, serão encaminhadas ao Estado 435,5 mil vacinas fabricadas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), correspondentes a uma compensação às localidades que não possuem mais pendências para conclusão do esquema de vacinação com o produto do Instituto Butantan. Ainda assim, o território mineiro tem direito a mais 8 mil doses da CoronaVac, que serão aplicadas naqueles que esperam pelo reforço há mais de 28 dias. 

Já as pouco mais de 64 mil unidades do imunizante da Pfizer serão destinadas aos mineiros com deficiência permanente ou comorbidades – incluindo gestantes e puérperas com doenças crônicas. 

Dois lotes de vacinas serão entregues hoje a Minas pelo Ministério da Saúde, em Confins, na Grande BH; imunizantes serão usados para a segunda dose e proteção de pessoas com comorbidades

Reforço

Ontem, após a chegada de 65,2 mil unidades da CoronaVac, a Prefeitura de Belo Horizonte convocou os ido[/TEXTO]sos de 65 e 66 anos para tomar a segunda dose. A partir de hoje eles podem concluir a imunidade contra o coronavírus. Cerca de 49 mil moradores desta faixa etária devem ser protegidos, conforme a administração municipal.

Hoje, serão vacinados aqueles com 66 anos. Amanhã, os com 65. É necessário levar documento de identidade, CPF e comprovante de residência em BH, além do cartão de vacinação que conste a aplicação da primeira dose. A imunização será das 7h30 às 16h30 para locais fixos, e das 8h às 16h30 para pontos de drive-thru.

Nesta semana, a capital iniciou a imunização dos maiores de 18 anos com doenças crônicas. Essas pessoas estão recebendo a vacina da Pfizer. O primeiro dia de aplicação foi marcado por filas e espera de até duas horas para tomar a dose em alguns postos de saúde.

Além disso

Em Belo Horizonte, dois dos três indicadores que monitoram a pandemia apresentaram novo aumento ontem, conforme dados do boletim epidemiológico e assistencial da prefeitura. A taxa de ocupação das terapias intensivas destinadas ao tratamento da Covid saiu de 79,2%, na sexta, para 79,9%. Já a ocupação das enfermarias passou de 56,9% para 57,7%.

Por outro lado, o número médio de transmissão por infectado, o chamado Rt, apresentou ligeira redução, caindo de 1,03 na semana passada para 1,02 nessa segunda-feira. Sendo assim, 100 pacientes infectados com o vírus contaminam outras 102 pessoas. Ao todo, a capital mineira já confirmou 193 mil casos e 4,7 mil mortes pela doença.

Leia também:
Frascos de CoronaVac não estão com menos doses, conclui Anvisa
Após relatos em redes sociais, polícia investiga ameaça de massacre em escola da Grande BH
Mortes por Covid-19 ultrapassam a marca de 436 mil no país