A baixa nos estoques de sangue da Fundação Hemominas é a pior já registrada durante a pandemia da Covid-19. Para os tipos O e A positivo a falta já chega a 60%. O temor é que cirurgias de urgência fiquem comprometidas. Diante do cenário crítico, foi feito um apelo para que os doadores reapareçam.

Atualmente, as cirurgias eletivas estão suspensas em Minas. Porém, as demandas por operações, transplantes e cuidados diversos não pararam devido a acidentes diversos. Portadores de anemias falciformes, hemofilia e doenças crônicas, também demandam transfusão sanguínea frequente.

A instituição destaca que os procedimentos ainda não foram afetados pelo estoque baixo. A rede, que dispõe de 25 unidades, ainda é capaz de suprir a demanda internamente.

Quem teve contato com contaminados pelo coronavírus deve 14 dias para doar. Jovens de 16 e 17 anos devem estar acompanhados do responsável legal, ou portando autorização, disponível no site da Hemominas

Para doar, a pessoa precisa estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 kg, estar bem descansado e alimentado. Voluntários que foram infectados pelo coronavírus ficam inaptos por 30 dias após o diagnóstico. 

“Não pode doar sangue em jejum. Pela manhã, tomar café normalmente. Se for doar à tarde, esperar três horas após o almoço. É importante evitar comidas gordurosas”, lembra a gerente de captação da Hemominas, Viviane Guerra. 

Além disso, ela afirma que, se a pessoa faz uso de algum medicamento, é aconselhável entrar em contato com a fundação.

Pessoas imunizadas contra o novo coronavírus também devem ficar alerta. “Caso tenha tomado a vacina, é preciso esperar. Se tomou a CoronaVac, aguardar 48 horas após cada dose. Se recebeu Astrazeneca ou Pfizer, esperar sete dias depois de cada dose”.

Segundo a fundação, o ato de solidariedade é seguro mesmo em tempos de pandemia. A Hemominas segue os procedimentos e critérios de prevenção ao coronavírus em todas as unidades. É obrigatório o uso de máscara e o distanciamento entre os doadores.

Dicas

Aqueles que tiveram contato com contaminados pelo vírus têm de esperar 14 dias, enquanto os que apresentam qualquer sintoma respiratório, mesmo que leve, febre ou outros indícios infecciosos, devem aguardar um mês após a recuperação para doar.

As doações podem ser agendadas pelo site da Fundação Hemominas ou pelo MGapp Cidadão. Em caso de não comparecimento, o órgão pede que o cancelamento do agendamento seja efetuado para disponibilizar o horário a outro candidato. Clique aqui e consulte os endereços e horários de atendimento das unidades em todo o Estado.