A Prefeitura de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, afirmou, nessa sexta-feira (14), que recebeu 55.525 doses de vacinas a menos do que deveria para imunizar a população contra a Covid-19. O Executivo declarou que notificará o Estado sobre o assunto na próxima semana.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o suposto déficit foi calculado de acordo com dados populacionais da cidade do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2020, além do vacinômetro atualizado pelo governo de Minas.

"Segundo o levantamento, Betim é o sexto município dentre os dez mais populosos de Minas que mais vacinou contra a covid-19. Isso porque a cidade abriga 2,09% de toda a população do Estado, mas recebeu apenas 1,41% do total de doses disponibilizadas, o que gerou um déficit de 0,68% - que representa 55.295 doses a menos do que o recebido pela prefeitura", informou a pasta municipal, em nota. 

Para o secretário municipal de Saúde, Augusto Viana, há um desencontro das informações divulgadas pelo Estado com o que ocorre na prática.

"O Estado orienta que os municípios devem ser ágeis na aplicação dos imunizantes, informando que receberão mais doses aqueles que mais vacinam. Isso, porém, é apenas discurso. Hoje, municípios com melhor desempenho na aplicação das vacinas, como Uberlândia e Betim, por exemplo, são os que menos doses receberam em suas respectivas regiões, seguindo a proporção da população", afirmou.

Conforme Viana, Betim tem condições de agilizar a vacinação, com infraestrutura logística e de armazenamento, além de profissionais de saúde qualificados, mas "infelizmente esbarramos na desproporcionalidade da distribuição dos imunizantes, algo que não está sob nosso controle", afirmou.

Vacinação em Betim

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Betim, as doses recebidas pela prefeitura permitiram a imunização, com as duas doses de vacinas contra a Covid-19, até esta quinta-feira (13), de 5,7% do total da população.

Conforme o Executivo, isso representa 77% de aplicações de vacinas com relação ao número de doses recebidas. Do total, 63.276 pessoas receberam o imunizante em primeira dose; e 25.494 pessoas em segunda dose. Por fim, a cidade relatou que os 23% de vacinas que não foram aplicadas tratam-se de imunizantes que ainda estão sendo aplicados e da segunda dose da Astrazenica.

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) informou que a distribuição das vacinas segue as recomendações do Ministério da Saúde, conforme público prioritário elegível para a vacinação contra a Covid-19.

Segundo a pasta, o cálculo da estimativa populacional do Ministério da Saúde é feito de acordo com o número de pessoas incluídas nos grupos prioritários para a campanha, não sendo realizado por meio da estimativa populacional geral da população do município.

A SES-MG ainda explicou que, a cada remessa de vacina enviada pelo governo federal, é disponibilizado um Informe Técnico com o total de doses enviadas para o Estado, assim como o público e o percentual para o atendimento.

Leia mais:
Começa a valer hoje nova política de privacidade do Whatsapp
Pelo quarto dia seguido, Minas registra mais de 250 mortes por Covid em 24 horas
Pessoas com comorbidades de 33 a 18 anos podem se vacinar a partir desta segunda-feira em BH