O Governo de Minas Gerais anunciou, nesta quinta-feira (13), a liberação de recursos para escolas do Estado desenvolverem atividades pedagógicas e ampliarem a qualidade nas ações do programa Regime de Estudo não Presencial. O investimento na rede estadual de ensino será de aproximadamente R$ 107 milhões e será repassado por meio de quatro parcelas liberadas ao longo do ano.

Segundo informou o Executivo estadual, o recurso poderá ser aplicado em intervenção pedagógica, reforço escolar, sábados letivos, escola acolhedora e em atividades complementares construídas pelos professores. As parcelas serão repassadas às escolas por meio da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) nos meses de maio, junho, agosto e outubro. Em cada uma delas, o valor a ser dividido entre as escolas será de quase R$ 27 milhões. 

O valor se soma aos R$ 350 milhões de recursos já anunciados anteriormente. Desse total, R$ 90 milhões são referentes a adicional de manutenção para pequenos reparos nas unidades escolares, R$ 170 milhões ampliam o valor que normalmente é destinado pelo Governo de Minas para a alimentação escolar e R$ 90 milhões serão distribuídos para as unidades de ensino reconhecidas com o Prêmio Escola Transformação pelo bom desempenho de gestão e aprendizado.

Regime de Estudo não Presencial

O Regime de Estudo não Presencial foi desenvolvido para dar continuidade ao processo de ensino e aprendizagem dos alunos da rede pública estadual de ensino, diante da suspensão das atividades escolares presenciais, em março do ano passado, em razão da pandemia da covid-19. 

Desde então, os alunos da rede contam com três principais ferramentas para acesso aos conteúdos escolares, sendo o Plano de Estudo Tutorado (PET), o programa Se Liga na Educação e o Aplicativo Conexão Escola 2.0, que tem a navegação para alunos e professores custeada pelo governo de Minas.

Mais de 97% dos alunos da rede tiveram acesso aos PETs, principal instrumento e elemento estruturante das atividades remotas, por meio virtual ou impresso, entregues desta forma para aqueles estudantes que não têm acesso à internet. O acompanhamento das atividades escolares é feito pelos gestores e equipe pedagógica das escolas, que estabelecem a melhor forma de envio e recebimento dos projetos realizadas pelos estudantes. 

(*) Com informações da Agência Minas

Leia mais:
Pessoas com comorbidades cadastradas a partir desta 5ª devem ser vacinadas só semana que vem em BH
Covid-19: BH vacina nesta quinta pessoas de 48 e 49 anos com comorbidades
Novo lote de vacinas da Pfizer chega ao Brasil