O depoimento do principal investigado na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos fura-filas, o ex-secretário Carlos Eduardo Amaral, foi adiado para quinta-feira (13). A oitiva, que ocorreria nesta terça (11), foi suspensa para dar espaço à segunda coleta de informações da diretora de Vigilância de Agravos Transmissíveis da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), Janaína Fonseca Almeida.

De acordo com o presidente da comissão, o deputado João Vítor Xavier (Cidadania), a própria servidora pediu que um novo depoimento dela fosse colhido pela CPI, que ocorre na Assembleia Legislativa (ALMG) e apura a vacinação contra a Covid-19 de servidores da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) com o uso de reserva técnica. Segundo Xavier, Janaína quer colaborar mais, apresentando novos documentos.

De acordo com ele, a oitiva será reservada, sem transmissão ao vivo. "Entendemos que seria possível fazer isso, tanto pela parte legal, quanto pela parte pessoal. Ela já deu depoimento público, aberto, e nós entendemos, pelo fato de ser uma servidora de carreira, de já ter servido a gestão anterior e servir à atual gestão, a fala, de maneira reservada, pode trazer à tona muitos outros caminhos que são importantes para a CPI", afirmou. Xavier também informou que, em caso de necessidade, mais um adiamento do depoimento de Amaral poderá ocorrer.

A primeira oitiva da diretora de Vigilância de Agravos Transmissíveis da SES-MG à comissão ocorreu na última terça-feira (4). Na ocasião, Janaína declarou que uma caixa de vacinas teria sido aberta para a cerimônia de chegada da primeira remessa de imunizantes a Minas, em janeiro. No entanto, o governo teria sido orientado a não realizar o evento. Para evitar o descarte posterior das doses, elas foram aplicadas em servidores da Central Estadual da Rede de Frio.

Na época, o governo de Minas informou que as investigações são realizadas pela Controladoria Geral do Estado, e que irá compartilhar as apurações com o Ministério Público e com a Comissão Parlamentar de Inquérito da ALMG.

Estoque é reduzido

As declarações do presidente da CPI dos Fura-filas, João Vítor Xavier, foram dadas em coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira (10), na Cidade Administrativa, após uma visita do deputado ao secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti. Segundo a CPI, o encontro se deu para apurar o suposto uso de reserva técnica da vacina contra a Covid-19 para imunização de servidores.

Ao comentar a reunião com o atual chefe da Saúde, Xavier afirmou que o estoque de vacinas foi reduzido na nova gestão da pasta estadual. Além disso, ainda segundo ele, Baccheretti reiterou que a reserva técnica pertence aos 853 municípios mineiros e, por isso, qualquer decisão sobre a distribuição dos imunizantes deve ocorrer de maneira pactuada com as gestões municipais.

Procurada, a SES-MG informou que atendeu ao pedido do deputado estadual João Vitor Xavier de receber, pessoalmente, documentos solicitados pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre o processo de vacinação dos servidores desta secretaria. O parlamentar foi atendido pelo chefe da pasta, Fábio Baccheretti, que entregou, dentro do prazo estipulado pela comissão, documento que explica o uso da reserva técnica de vacinas.

"Hoje, a pedido do deputado João Vitor Xavier, entreguei a ele, a resposta da SES-MG ao requerimento solicitado na última quinta-feira. Me coloco à disposição para quaisquer outros esclarecimentos para que o processo corra com total transparência", afirmou Baccheretti, em nota.

Leia mais:
Fiocruz investiga transmissão da Covid-19 entre crianças e adultos
Governo cria programa para fabricação de satélites brasileiros
Faturamento da indústria volta a crescer em março, segundo CNI