O patriarca da Comunidade Quilombola dos Arturos, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, Mário Brás da Luz, de 88 anos, morreu em decorrência de complicações da Covid-19 na madrugada desta sexta-feira (7). Ele estava intubado no Hospital Santa Helena, na cidade de Grande BH.

Mário Brás da Luz era o último filho vivo de Arthur Camilo Silvério, fundador da comunidade. O anúncio foi feito pelo perfil da Comunidade Quilombola no Instagram.

“É com grande dor no coração que a Comunidade Quilombola dos Arturos comunica o falecimento de seu patriarca, Mário Brás da Luz, o último filho de Artur Camilo Silvério que restava em vida. Nos despedimos desse grande pai, avô, tio e acima de tudo líder espiritual e Capitão Mor! Que Nossa Senhora do Rosário o receba com festa nos céus e nos dê forças para suportar esse momento de grande dor e luto! Os Arturos encontram-se com dor no coração, mas temos certeza que hoje é dia de festa maior, é dia de festa no céu! O seu legado seguirá conosco para sempre! Descanse em Paz Tio”, diz o comunicado.

A filha de Seu Mário, Maria Antônia, e a esposa dele, Tia Dodora, também estão internadas com a doença.

História

Os Arturos são uma comunidade familiar, tradicional e de ascendência negra, formada pelos descendentes e agregados de Arthur Camilo Silvério e Carmelinda Maria da Silva. Na vivência diária dos quilombolas são mantidas diversas expressões culturais e festas tradicionais como batuque, Folia de Reis, Candombe, da Abolição e do João do Mato. A festividade mais esperada, que recebe cerca de 3 mil pessoas a cada edição, é a de Nossa Senhora do Rosário, realizada em outubro.

Leia mais:
Secretário diz que Minas está preparada para 3ª onda, mas não acredita em pico tão alto de casos
Professores serão vacinados contra a Covid-19 a partir de junho em Minas, afirma secretário de Saúde
Minas vai receber mais de 100 mil doses da CoronaVac neste fim de semana, diz secretário