A Secretaria de Estado de Saúde (SES) confirmou, nesta quinta-feira (6), que 830 das 853 cidades mineiras relataram atrasos na aplicação da segunda dose de vacinas da fabricante CoronaVac nos grupos prioritários. Foi identificada a necessidade de 371.898 doses a mais para completar o esquema vacinal em Minas Gerais.

A pasta informou que enviará um ofício com solicitação de doses ao Programa Nacional de Imunização, para que o Ministério da Saúde recomponha a quantidade necessária para completar o esquema de imunização. Ainda de acordo com a SES, a Comissão Intergestores Bipartite do Sistema Único de Saúde do Estado de Minas Gerais (CibSUS - MG) aprovou, em 5 de maio, a solicitação de doses da vacina Covid-19 (Sinovac/Butantan).

Em março, o Ministério da Saúde orientou as prefeituras a usarem todo o estoque, sem se preocupar com a segunda aplicação. Poucos dias depois, mudou a orientação novamente, pedindo que as vacinas voltassem a ser estocadas, mas muitas cidades em todo o país deixaram de guardar os imunizantes para poder acelerar a proteção da população.

O Instituto Butantan, fabricante da vacina desenvolvida na China, afirmou que já cumpriu o primeiro contrato com o governo federal, entregando 46 milhões de doses. Nessa quarta-feira (5), a instituição enviou a primeira remessa do segundo contrato com 1 milhão das 54 milhões de doses que devem ser entregues até agosto. Outras 3 milhões devem ser enviadas ao ministério na próxima semana.

Astrazeneca

Nesta quinta-feira (6), Minas recebe 396.500 doses de Astrazeneca. O 18º lote vai ser usado na imunização de pessoas com comorbidades, grávidas e mães que acabaram de dar à luz, além de integrantes das Forças de Segurança e de Salvamento.

Leia Mais:
Queda nos indicadores da Covid-19 possibilitou nova flexibilização em BH
CPI dos 'Fura-Filas': ex-secretário afirma que vacinação seguiu orientações do Ministério da Saúde
Com auxílio emergencial, poupança volta a captar recursos em abril