A média de idade dos pacientes internados com a forma grave do coronavírus em Belo Horizonte já é de 42 anos, afirmou o secretário municipal de Planejamento e Orçamento, André Reis, nesta quinta-feira (6). Segundo dados do boletim epidemiológico da prefeitura dessa quarta-feira (5), mais de mil pessoas estão hospitalizadas por complicações da doença em leitos de terapia intensiva e de enfermaria nas redes pública e privada da capital.

“Quase metade das internações hoje são de pessoas jovens. Então, tenham cuidado, responsabilidade, porque é muito grave a situação, principalmente dessa faixa etária na cidade de Belo Horizonte”, afirmou o prefeito Alexandre Kalil.

Conforme o levantamento da PBH, a metrópole dispõe de 1.101 vagas de UTI exclusivas para o tratamento da Covid-19. Desse total, 76,1% estão ocupadas. Os leitos de enfermaria são 2.070, com 53,5% de utilização. 

A circulação das variantes, apontadas por especialistas como mais contagiosas e agressivas, contribuem para o alto índice de ocupação das Unidades de Terapia Intensiva, que seguem no nível vermelho. Até ontem, mais de 182 mil belo-horizontinos testaram positivo para o vírus, sendo que mais de 4,4 mil casos evoluíram para óbitos.

“Nós temos óbitos de (pessoas com) 23 anos. De 40 anos, 39, 32. O número é realmente alarmante, principalmente entre os jovens, que, na maioria das vezes, ignoram e vão para baladas, festas, churrascos, e é isso que queremos evitar”, afirmou Kalil.

RT em queda

Segundo o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto, o número médio de transmissão por infectado (RT) voltou a cair nesta quinta-feira (6), saindo de 0,95, ontem, para 0,93, hoje. Qualquer número menor ou igual a 1 é considerado aceitável pelas autoridades municipais.

Leia mais:

Kalil amplia funcionamento de bares e restaurantes em BH e anuncia abertura de feiras e clubes
Cercada de crenças populares, Quadra do Vilarinho, em BH, fecha as portas após mais de 40 anos