Um homem de 32 anos, preso suspeito de jogar ovos e urina em apoiadores do presidente Jair Bolsonaro durante manifestação realizada nesse sábado (1º), foi ouvido e liberado pela Polícia Civil, ainda na data de ontem.

Segundo a corporação, a ocorrência foi recebida na Delegacia de Plantão 2, onde todos os envolvidos foram ouvidos e posteriormente liberados. Um procedimento para a apuração dos fatos foi instaurado.

O caso foi registrado quando a manifestação – que defendia medidas como a intervenção federal, que retira temporariamente a autonomia dos estados e Distrito Federal – passava pela avenida Afonso Pena, no Centro da capital mineira. Após registro do ato pelos manifestantes, militares entraram no prédio onde mora o suspeito e o prenderam quando ele abriu a porta do apartamento. Ele foi levado para a delegacia.

Conforme informou a PM, o suspeito foi identificado por testemunhas, entre elas o deputado estadual Bartô (Novo), que participava do ato. Após a prisão, o homem prestou depoimento e foi liberado em seguida.

Em nota, o deputado informou que os manifestantes foram "surpreendidos com atos de agressão" e que ovos, sacos de água, fezes e outros objetos foram atirados de um prédio localizado na avenida Afonso Pena. Ele disse que PM foi acionada para garantir a integridade física e segurança das pessoas e que os militares entraram no prédio para identificar os suspeitos, “sem qualquer movimento de invasão”.

O parlamentar nega ter entrado no apartamento do homem e disse que apenas acompanhou o trabalho dos policiais militares e as testemunhas “com intuito de orientar e dar tranquilidade na ação”. Ele afirmou, ainda, que repudia "qualquer tipo de ditatura e todo e qualquer ato de agressão física ou verbal".

Leia mais:
Apoiadores de Bolsonaro fazem manifestação na Praça 7; veja o vídeo
Covid-19 já matou 34.289 pessoas em MG; últimos 253 óbitos foram registrados em 24h
Padrasto suspeito de tentar matar enteada de 2 anos é preso em Betim