Pesquisadores da Universidade Federal de Lavras (Ufla) criaram um sistema inédito de isolamento e transporte de pacientes com Covid-19. O equipamento vai evitar a contaminação durante o transporte de pacientes entre alas hospitalares, de CTI e em ambientes como o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e helicópteros.

Segundo a universidade, os testes de laboratórios de engenharia acabaram de ser concluídos e o equipamento auxilia de forma efetiva na redução de infecção de outros pacientes e profissionais de saúde, por meio de um sistema de enclausuramento. 

O sistema é capaz de manter uma atmosfera controlada interna, com um fluxo de ar contínuo, de acordo com o protocolo médico necessário a determinado paciente, além do controle de vazão e pressão e total desinfecção do vírus no momento da saída do ar, diferentemente de todas as outras soluções disponíveis no mercado mundial. 

Dessa forma, o ar expelido ao ambiente externo é inofensivo ao ser humano e não contamina outras pessoas. 

Sistema de enclausuramento Covid

O responsável pelo projeto, professor Sandro Pereira da Silva, explica que “alguns estudos mostram que o vírus se mantém suspenso no ambiente por cerca de três horas e considerando que o ambiente hospitalar possui maior número de prováveis doentes com coronavírus, há um constante risco de disseminação viral. Ao manter o paciente contaminado dentro do sistema de enclausuramento, minimiza-se a contaminação durante o seu deslocamento. Além disso, o sistema terá a sua aplicação não só no combate da Covid-19, mas para qualquer doença que permita contágio entre as pessoas, como Tuberculose, Meningite, entre outras”.

O projeto é financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e pelos recursos do Termo de Execução Descentralizada (TED) de combate à pandemia da Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação (Sesu/MEC). O próximo passo é submeter ao Comitê de Ética para validação em animais.

*Com informaçães da Ufla