A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Fura-Filas da vacinação contra a Covid-19 aprovou, nessa sexta-feira (23), dois requerimentos para solicitação de informações à Prefeitura de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, sobre o processo de vacinação do deputado estadual Professor Irineu (PSL), feita no município.

Caso sejam constatadas irregularidades, as informações serão encaminhadas à Comissão de Ética da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O parlamentar, de 63 anos, recebeu a dose em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) da cidade, onde, até a ocasião, apenas idosos acima de 65 anos estavam sendo imunizados. 

Segundo o presidente da CPI dos Fura-Filas, o deputado estadual João Vítor Xavier (Cidadania), a comissão não irá investigar diretamente o caso, já que a irregularidade já foi constatada pelo município. Na última quinta-feira (22), a prefeitura de Betim confirmou que o político havia furado a fila de vacinação e que a imunização foi realizada às 14h do dia 14 de abril.

“Tudo que é questão municipal, a CPI deixou a cargo dos municípios. Mas pedimos o laudo da investigação feita por eles, que foi muito rápida e direta. Assim que recebermos, iremos analisar o que é indicado pela prefeitura e, se constatada alguma irregularidade, iremos encaminhar para o Conselho de Ética da Casa e ele terá que responder por todas as sanções previstas, que são muitas e são duras”, disse João Vítor Xavier.

Em nota, a Prefeitura de Betim informou que, no último dia 15 de abril, uma auditoria assistencial foi instaurada para apurar a circunstância da vacinação do deputado estadual Professor Irineu. “Com isso, a Ouvidoria e a Corregedoria Municipal registraram oitivas dos servidores envolvidos e realizaram diligências na Unidade Básica de Saúde Vila Cristina, onde o fato ocorreu. Ao analisar os dados cadastrados no sistema dos imunizantes aplicados, a auditoria constatou que, de fato, a vacinação irregular foi realizada no dia 14 de abril, às 14h”, disse. Diante do fato, a prefeitura substituiu a gerente responsável pela unidade, conforme publicado no Órgão Oficial do último dia 16 e encaminhará o relatório completo da auditoria à presidência da Assembleia Legislativa de Minas Gerais e para o Ministério Público, para que sejam tomadas as medidas cabíveis.

Em comunicado publicado em uma rede social, o deputado Professor Irineu, como é conhecido, confirmou a imunização e afirmou que ligou para o posto de saúde e recebeu a informação de que pessoas com 63 anos estavam sendo imunizadas. Mas, quando chegou chegou ao local foi informado que a vacinação estava sendo realizada em pessoas de 65 anos. Ainda de acordo com a nota, ele foi orientado a aguardar e "caso houvesse sobra o mesmo poderia ser imunizado. E assim procedeu".

Leia mais:
'Fura-fila': Betim confirma que vacinação de deputado Professor Irineu foi irregular
Prefeitura de Betim investiga irregularidade na vacinação do deputado Professor Irineu
Governo de Minas conclui apurações referentes às supostas irregularidades na vacinação de servidores
Ex-servidores da SES suspeitos de tentar burlar informações serão ouvidos pela CPI dos fura-fila