O governo de Minas Gerais informou, nesta sexta-feira (23), que vai exonerar dois servidores supostamente envolvidos na tentativa de interferir nas investigações do Ministério Público e da Assembleia Legislativa do Estado (ALMG), na CPI dos “fura-fila”. As exonerações serão publicadas em edição extra do Diário Oficial do Executivo.

Um áudio vazado nessa quinta-feira (22), sobre uma possível mudança na resolução do regime de teletrabalho, está sendo atribuído aos servidores. Na conversa, é sugerido que os funcionários voltassem ao trabalho presencial para que fosse alterado o documento a ser enviado às autoridades.

No áudio, divulgado pela rádio Itatiaia, os funcionários da pasta ainda combinariam versões de possíveis depoimentos a serem dados à comissão, além de outras irregularidades, como tentativa de obstrução das investigações.   

Sobre o áudio, o governo disse, em nota, que reitera o “compromisso com a transparência” e reafirma que “todas as denúncias relativas ao processo de vacinação de servidores são apuradas por órgãos de controle, com total colaboração do governo estadual”. 

Leia mais:
Bares do Mercado Central voltam a atender clientes em área externa a partir deste sábado
Idosos de 63 anos começam a ser vacinados contra a Covid-19 nesta sexta em Betim, na Grande BH
Com mais de 5 mil casos de Covid em 24h, Minas alcança a marca de 1,3 milhão de infectados