No primeiro dia de reabertura do comércio e serviços essenciais, usuários de 26 linhas de ônibus que atendem a região do Barreiro, em Belo Horizonte, ficaram sem o transporte público. A paralisação de motoristas da empresa Transoeste que, segundo o sindicato da categoria, protestam contra atrasos salariais, impediu a realização de 354 viagens. O atendimento aos passageiros foi normalizado às 10h desta quinta (22). 

De acordo com os trabalhadores, os pagamentos estão atrasados desde o final do ano passado. Por nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH) informou, porém, que não há atraso na quitação dos benefícios, mas esclareceu que as “empresas do Sistema de Transporte Coletivo de Belo Horizonte estão passando por dificuldades financeiras recorrentes por conta das operações com prejuízos durante a pandemia pela Covid-19”.

O Setra disse, ainda, que a paralisação ocorreu “porque a empresa vem escalonando os pagamentos dos funcionários por conta da falta de receita para pagamento integral nas datas de adiantamento e pagamento de salários do mês”, mas que um acordo já foi firmado com os colaboradores e a expectativa é que o atendimento seja normalizado até 10h desta quinta. 

Também por meio de nota, a BHTrans informou que agentes monitoraram e orientaram os usuários nos bairros e nas estações Barreiro e Diamante e que, conforme previsto nos contratos com as concessionárias, as empresas não podem realizar interrupções no serviço. Por isso, a concessionária será notificada a prestar as informações e justificativas, estando sujeita às penalidades previstas nos contratos que podem ir desde multas operacionais até abertura de processo administrativo.

(*) Com informações de Rosiane Cunha

Leia mais:
Movimento nas estações do Move é intenso no 1° dia de reabertura em BH
Belo Horizonte amplia vacinação contra a Covid-19 nesta quinta-feira; confira o novo público-alvo
BH reabre hoje com a missão de conciliar a volta do comércio e a manutenção de indicadores da Covid