O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), anunciou, nesta sexta-feira (16), a duplicação e a ampliação da BR-135, rodovia que liga a região Central ao Norte de Minas. De acordo com o Estado, a Eco135, empresa que administra a via, investirá R$ 442 milhões na obra, com estimativa de geração de cerca de 1,3 mil empregos.

Ao todo, 136 quilômetros da BR-135 serão duplicados e outros 55 quilômetros serão criados e pavimentados, ao custo total de R$ 1 bilhão até 2023. Zema esteve presente na cerimônia, realizada em Bocaiuva, que está entre as 12 cidades que serão diretamente beneficiadas pelas intervenções.

"Essa rodovia é fundamental para que Minas se desenvolva. É um modelo que queremos. A Secretaria de Infraestrutura já está encaminhando o projeto de concessão de outros lotes de rodovias, e que esse aqui sirva como modelo. Por que um Estado que tem sérias deficiências financeiras, como é o caso de Minas Gerais, vai depender de concessões e parcerias com a iniciativa privada para ter bons trechos e rodovias", afirmou Zema.

Intervenções

Concedida à Eco135 em julho de 2018, a BR-135 tem 363,95 quilômetros de extensão, com início nas proximidades de Curvelo, na região Central, até Montes Claros, no Norte de Minas. Conforme o governo, as obras de melhoria terão início com a duplicação entre o km 668,8 (Curvelo) e o km 574,5 (Corinto), no trecho Sul da rodovia.

Em seguida, será feita a intervenção entre o km 410 (Bocaiuva) e o km 367,6 (Montes Claros). A previsão é que o projeto seja concluído em 2023. Além disso, a região de Montes Claros e Bocaiuva também passará por obras de pavimentação, entre os kms 367 e 414. O mesmo será feito nos km 414 ao 471, na região de Bocaiuva e Joaquim Felício. Já no lote Sul, as intervenções serão do km 547 ao km 668, entre Augusto de Lima e Curvelo.

BR-135

Obras terão início com a duplicação entre Curvelo e Corinto

Além da duplicação, também será realizada a implantação de acostamento na LMG-754, entre Cordisburgo e Curvelo, totalizando 40,1 quilômetros. Em Bocaiuva, haverá a duplicação da via, além de 1,14 quilômetro de marginais, cerca de 22 quilômetros de faixas adicionais, três passarelas, 12 interseções em nível e desnível, pontos de ônibus e melhorias de acesso.

Ecológica

De acordo com Marcelo Bevilaqua, diretor-superintendente da Eco135, a obra foi pensada para utilizar materiais recicláveis para reduzir o impacto ambiental. Segundo ele, o pavimento será reclicado e será utilizado o asfalto borracha, feito com 500 pneus por quilômetro asfaltado.

"Recebemos a orientação do governador para que a infraestrutura não conflita com o meio ambiente e desenvolvimento. Ninguém faz uma obra dessa se não respeitar o meio ambiente, o social, a governança, o padrão ético de qualidade. Isso é diretriz. É possível conciliar infraestrutura e meio ambiente", informou o secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade, Fernando Marcato.

* Com Agência Minas

Leia mais:
Comerciantes de BH desrespeitam decreto municipal e abrem as portas após anúncio do fim da Onda Roxa
Ministério paga Garantia-Safra a 25 mil agricultores familiares

Definição sobre reabertura do comércio e volta às aulas em BH deve sair só na segunda-feira