O avanço de mais 421 municípios do Estado para a Onda Vermelha, fase menos restritiva do programa Minas Consciente, foi oficializado pelo governo nesta sexta-feira (16). As novas medidas foram publicadas na edição do Diário Oficial, após anúncio feito nessa quinta (15) pelo governador Romeu Zema (Novo).

Diferente da Onda Roxa, na qual apenas serviços considerados essenciais poderiam funcionar, a Vermelha permite todas as atividades, desde que algumas regras sejam cumpridas, como distanciamento e limitação de pessoas nos estabelecimentos. Vale lembrar que cada município tem autonomia para aderir ou não a essa fase. Já na Roxa, as prefeituras são obrigadas a seguir as normas do Estado.

Conforme decisão tomada pelo Comitê Extraordinário Covid-19, as macrorregiões de Saúde Norte, Sul, Sudeste e Jequitinhonha e as microrregiões de Betim, Belo Horizonte/Nova Lima/Caeté, Vespasiano, Contagem, Curvelo e Manhuaçu poderão avançar para a Onda Vermelha a partir deste sábado (17) e permitir a abertura do comércio (confira lista abaixo).

As regiões Triângulo do Norte, Triângulo Sul e Noroeste, que já estavam na Onda Vermelha desde a última segunda-feira (9), permanecem nesta fase. Com a decisão, metade das macrorregiões do Estado ficará na faixa vermelha, enquanto a outra metade segue na Onda Roxa.

Ontem, durante coletiva de imprensa, Zema falou sobre o importante impacto causado pela Onda Roxa, que está em vigor no Estado desde 17 de março e disse que a medida fez com que os indicadores que monitoram a pandemia melhorassem, o que “possibilitou as decisões técnicas por parte da Secretaria de Saúde”.

“Mas é preciso lembrar que estamos longe de ter conforto. Ainda temos um sistema hospitalar sobrecarregado, os profissionais de saúde estão cansados e as vagas são poucas”, afirmou Zema, que reforçou ainda a necessidade da população se manter em alerta mesmo com as mudanças.

“Dobramos o número de leitos de UTI e de enfermaria em Minas Gerais, mas o aumento de casos nessa segunda onda exige toda cautela”, completou.

Confira como funciona a Onda Vermelha

O funcionamento do comércio e a realização de eventos, com a presença de no máximo 30 pessoas, estão liberados, mas devem seguir algumas regras relacionadas ao distanciamento social e protocolos de higiene. É preciso que os estabelecimentos exijam distância linear de 3 metros entre os que estão presentes e a capacidade passa a ser de 10 metros quadrados. Ou seja, um local com 1.000 metros quadrados comporta, no máximo, 100 pessoas.

Atividades de atrativos culturais, naturais e hotéis podem funcionar com limite de ocupação de 50%. Os serviços permitidos na Onda Vermelha devem seguir um “protocolo restrito”, o que significa que, além das regras usuais, seriam adicionados controle de fluxo, teletrabalho como foco, limite de uma pessoa por atendente (comércio não-essencial na onda vermelha), proibição de auto atendimento, medição de temperatura e agendamento. Confira todas as regras aqui

Veja quais cidades poderão permitir a reabertura do comércio a partir de amanhã: 

Na macrorregião Norte, 86 cidades, entre elas Montes Claros, poderão permitir a reabertura do comércio. Já na região Sul, 154 municípios, como Guaxupé e Três Corações, avançam para a Onda Vermelha. Nas macrorregiões Jequitinhonha (31) e Sudeste (94), as mudanças no Minas Cosciente ocorrem para 125 cidades. 

As microrregiões de Belo Horizonte – que engloba cidades da Região Metropolitana, como Betim, Contagem e Nova Lima – Curvelo e Manhuaçu, representam outros 56 municípios. Confira a lista completa pelo link

Leia mais:
Comitê Covid-19 analisa cenário da pandemia em BH nesta sexta-feira
Betim não adere à Onda Vermelha e mantém restrições até 21 de abril
Shoppings, bares, hotéis e atrativos culturais podem funcionar na Onda Vermelha; confira as regras
Definição sobre reabertura do comércio e volta às aulas em BH deve sair só na segunda-feira
Comerciantes de BH desrespeitam decreto municipal e abrem as portas após anúncio do fim da Onda Roxa