A vacinação contra a Covid-19 já mostra evolução expressiva no combate ao novo coronavírus em Minas. Desde o início da campanha, em janeiro, as mortes entre os idosos com mais de 90 anos reduziram 64%, enquanto as internações recuaram 66%. Os dados são da Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Quando o Estado iniciou a imunização dessa faixa etária, do total de óbitos por complicações da enfermidade, 8,56% eram de pessoas acima dos 90. Na mesma época, 5,1% dos leitos hospitalares eram ocupados por esse grupo.

Com a aplicação da segunda dose, que garante maior proteção, mas não elimina o risco de infecção, os números despencaram, reduzindo óbitos e casos graves dessa população. 

De acordo com a SES, pouco mais de dois meses depois – com dados até 4 de abril –, 3,05% do total de vidas perdidas eram de mineiros com mais de 90 anos. Ao mesmo tempo, as hospitalizações do grupo reduziram para 1,7%. 

492 mortes por Covid foram confirmadas no estado nas últimas 24h; em apenas dois dias, 
mil mineiros perderam a vida

“É um alento muito importante nesse momento e reforça a atenção aos municípios em crescer a vacinação. Aguardamos novas remessas do Ministério da Saúde e esperamos que elas ocorram de forma constante e mais acelerada”, disse o secretário de Saúde, Fábio Baccheretti.

Para o infectologista Estevão Urbano, membro do Comitê de Enfrentamento à Pandemia de BH, a queda nas mortes e internações reafirma a eficácia das vacinas. “Há um ano, praticamente só essas pessoas que se internaram, e isso se manteve durante todo o ano passado. É um indicador de que a vacina está funcionando”.

Mesmo assim, o especialista alerta que a campanha precisa ser acelerada para que o mesmo resultado seja visto nas outras faixas etárias. “Muita gente que morreu e muitas outras podem morrer porque a vacina não chegará a tempo”. 

Segundo o Vacinômetro, painel da SES que monitora a vacinação, 92 mil pessoas com 90 anos ou mais receberam a primeira dose dos imunizantes (86,14% do público-alvo). Destes, 63,5 mil já foram contemplados com o reforço, equivalente a 59,43% do grupo. Ao todo, o Ministério da Saúde já disponibilizou ao Estado 4,6 milhões de unidades da vacina a Minas.

Além disso:

Mais 478.150 doses da vacina contra a Covid chegaram a Minas nesta quinta. O 12º lote de dará continuidade à vacinação dos trabalhadores da saúde, idosos de 70 a 75 e 65 a 69 anos e profissionais das forças de segurança. 

Ontem, o governador Romeu Zema revelou que as cidades mineiras que estão com o processo de vacinação agilizado receberão mais doses, que fazem parte da reserva técnica de 5% separada pela SES a cada lote. A medida prevê agilizar a proteção e faz parte de uma ação do governo com o apoio do Ministério Público e da Associação Mineira de Municípios (AMM).

A Prefeitura de BH chegou a anunciar, também ontem, que o estoque de imunizantes se esgotou. Por isso, suspenderia a ampliação de novos grupos. Porém, horas depois, a administração municipal voltou atrás e alegou um “esforço excepcional junto a todos os postos de vacinação”, informado que vai proteger os moradores de 64 anos, completos até 30 de abril, a partir de hoje.

Leia mais:
STF decide que estados e municípios podem proibir cultos na pandemia
Hospital da Baleia faz adequações terapêuticas para suprir falta de medicamentos do 'kit intubação'
Hospital Dr. Mário Ribeiro, em Montes Claros, compra aparelhos que dispensam uso do 'kit intubação'