Com o agravamento da pandemia no Brasil, as equipes da saúde começaram a enfrentar problemas como a falta de leitos, de equipamentos e de insumos para atender a todos os pacientes que chegam com as complicações provocadas pela Covid-19. 

Em Belo Horizonte, no Hospital da Baleia, cinco capacetes respiratórios - chamado 7Lives – Helmet -  passaram a ser utilizados como uma medida de tratamento alternativo para melhorar a oxigenação das pessoas infectadas pelo vírus. Em alguns casos, mais graves, ele não evita que o doente acabe sendo intubado, mas o equipamento ajuda a retardar esse processo.

capacete respiratório

"Ele vem para nos auxiliar como uma ventilação mecânica e tem uma grande vantagem nesses tempos de Covid porque pode evitar que os pacientes sejam intubados precocemente, sobrecarregando as unidades de terapia intensiva", explica Leonardo Silva Augusto, fisioterapeuta intensivista da instituição.

O fisioterapeuta afirma que o equipamento não substitui a intubação. Porém, é uma nova opção e significa mais pessoas sendo atendidas. "Se o paciente responder na primeira hora, a gente posterga a intubação. Existe um protocolo, mas acontece dessa forma, ele é indicado a pacientes com insuficiência e frequência respiratória aumentada", frisou o especialista.

capacete respiratório

Leia Mais:

Kalil decide manter o fechamento do comércio não essencial em BH
Covid-19: Brasil tem 4.195 mortes registradas em 24 horas
Júlia Kubitschek e Alberto Cavalcanti tentam contratação emergencial de médicos e enfermeiros, em BH