A ocupação dos leitos para tratamento de pacientes com Covid-19 voltou a subir em Belo Horizonte. Boletim epidemiológico divulgado nesta segunda-feira (5), pela prefeitura, indica que 98,8% das vagas na terapia intensiva tanto de hospitais públicos quanto de particulares não estão mais disponíveis. Na enfermaria, o índice é de 82,5%.

A situação é mais crítica no Sistema Único de Saúde (SUS), que tem lotação de 100,9% das UTIs destinadas aos infectados com o novo coronavírus. Na rede particular chega a 96,7%.

De acordo com o levantamento referente à 1º de abril, o último divulgado, a ocupação geral de leitos de terapia intensiva para Covid-19, na metrópole, era de 92,5%. Nas unidades de saúde públicas, a taxa era de 92,2%; nas privadas, 92,7%.

Depois de quase 40 dias, o número médio de transmissão por infectado, o chamado Rt, atingiu o nível verde e chegou a 0,99 - o que significa que cada grupo de cem pessoas transmite o vírus para outras 99. Na quinta-feira (1º), o índice era de 1,06.

Casos

Até esta segunda, de acordo com o boletim epidemiológico, exatos 148.006 moradores da capital testaram positivo para o novo coronavírus - mais de 3,1 mil novos casos em relação ao último levantamento divulgado, em 1º de abril. O número de mortes permaneceu o mesmo: 3.314. A prefeitura disse que a atualização não foi possível devido a problemas técnicos na base de dados do Ministério da Saúde.

Ao todo, 7.143 pacientes seguem sendo acompanhados por equipes médicas. Por outro lado, 137.549 belo-horizontinos que foram infectados já são considerados recuperados da doença.

Leia Mais:
Minas vai criar cadastro para contratar estudante e aposentado para o combate à Covid-19
Mais de 1.700 pessoas aguardam por um leito para tratamento da Covid-19 em Minas
PBH cita colapso e 'ofensa à saúde pública' em recurso contra autorização de missas presenciais