De acordo com o Boletim InfoGripe, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), 15 das 27 unidades da federação apresentam sinal de crescimento do número de casos e óbitos por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) e em decorrência da Covid-19. Apenas no Amazonas e no Pará há tendência de queda.

Já Minas Gerais, Bahia, Ceará, Goiás, Paraná, Roraima e Santa Catarina - que no boletim anterior apresentavam tendência de crescimento - passam a apresentar sinal de estabilidade. “Apesar de apresentar sinal de estabilidade, não são recomendadas flexibilizações das medidas de prevenção da transmissão enquanto não houver reversão e manutenção de sinal de queda. É importante reforçar ainda que, como a SRAG está associada a eventos de internação, locais em que a rede de atendimento hospitalar estiver sobrecarregada podem resultar em diminuição na capacidade de registrar novas ocorrências”, afirmou o pesquisador Marcelo Gomes, coordenador do InfoGripe.

O levantamento se refere a dados coletados até o último dia 15, abrangendo o período de 7 a 13 de março. Nesse intervalo, 97,4% dos casos e 99,3% dos óbitos por vírus respiratório deram positivo para o novo coronavírus.

A SRAG é uma complicação respiratória associada muitas vezes ao agravamento de alguma infecção viral. O paciente pode apresentar desconforto respiratório e queda no nível de saturação de oxigênio, entre outros sintomas. As notificações aumentaram muito no ano passado em decorrência da pandemia de Covid-19.

Ainda de acordo com a Fiocruz, 14 das 27 capitais registraram alta no número de casos e mortes, segundo a  Belo Horizonte, Maceió, Natal, Porto Velho, Rio de Janeiro, São Luís, São Paulo, Teresina e Vitória registraram 95% de chances de crescimento da contaminação nas próximas seis semanas. Por outro lado, Campo Grande, Curitiba, Macapá , Palmas e plano piloto de Brasília e arredores apresentam sinal “moderado” de crescimento nas próximas três semanas.

Desde 2020 até agora, foram reportados 882.663 casos da SRAG. Desse total, 95,5% dos resultados dos exames laboratoriais deram positivo para a Covid-19, segundo o balanço realizado pela Fiocruz.