Um jovem, de 24 anos, foi preso pela Polícia Federal (PF) na manhã desta sexta-feira (19), em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, suspeito de vazar dados e informações de brasileiros na internet. A operação foi denominada de Deepwater.

Os agentes também apreenderam um smartphone e um notebook. O alvo da ação policial seria responsável pela divulgação de informações de 223 milhões de pessoas. Além da prisão, a operação visa o cumprimento de cinco mandados de busca e apreensão em Petrolina (Pernambuco) e na cidade do interior de Minas.

Segundo informou a PF, a ação investiga fatos criminosos relacionados à obtenção, divulgação e comercialização de dados pessoais de brasileiros, entre eles, diversas autoridades públicas. Foi apurado que, em janeiro de 2021, por meio da internet, inúmeras informações sigilosas de pessoas físicas e jurídicas – como CPF e CNPJ, nome completo e endereço – foram ilicitamente disponibilizadas em um fórum na internet especializado em trocas de informações sobre atividades cibernéticas.

A divulgação de parte dos dados foi feita gratuitamente pelo suspeito, que também expôs a venda de dados que poderiam ser adquiridos por meio do pagamento de criptomoedas. Um segundo hacker, que estaria vendendo informações por meio das redes sociais, também foi identificado pela Polícia Federal.

Após a prisão, o suspeito detido em Uberlândia será interrogado e conduzido para um presídio, onde ficará à disposição da Justiça. As ordens judiciais foram expedidas pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), após representação feita pela Polícia Federal solicitando as medidas.

Leia mais:
Vazamento de dados facilita fraudes e coloca em risco do FGTS à casa da vítima
Dados de milhões de brasileiros são vendidos na internet
Operação desmonta esquema bilionário de sonegação no setor cafeeiro em Minas e outros estados