A filial mineira da Cruz Vermelha, instalada no Centro de Belo Horizonte, informou que está com estoques de suprimentos mais baixos do que em anos anteriores e precisa de doações. A situação dificulta ou até mesmo impede o auxílio a regiões necessitadas.

Nesta segunda-feira (22), a entidade enviou alimentos não perecíveis, água e outros itens à Santa Maria de Itabira, na região Central do Estado, cidade atingida por fortes chuvas que vitimaram fatalmente 6 pessoas nesse domingo (21).

Conforme a instituição, dois carros e um caminhão partiram de BH com destino à cidade, localizada a cerca de 150 km da capital, com 403 cestas básicas, 400 kits de material de limpeza, 400 kits de itens de higiene pessoal e 22 colchões para auxílio à população local.

Os voluntários farão a entrega das doações com o uso de veículos 4x4, já que a circulação está difícil nas regiões atingidas pela lama. Além do apoio material, a Cruz Vermelha declarou que colocou à disposição os trabalhos de acolhimento psicossocial e assistência social para as famílias.

"Muito devagar"

Cristiane Monteiro, secretária-geral da Cruz Vermelha Brasileira – Filial Minas Gerais (CVB-MG), explicou que o volume de doações está muito abaixo do necessário neste ano, o que dificultou ou inviabilizou o atendimento de regiões que solicitaram o apoio da entidade.

Um dos casos ocorreu após as chuvas do meio da semana passada na capital. Os moradores dos bairros São Gabriel e Ribeiro de Abreu, na região Nordeste, e do bairro Pantanal, em Santa Luzia, na Grande BH, pediram ajuda da entidade, mas nem todos foram contemplados.

"A gente só conseguiu atender o Ribeiro de Abreu. No sábado (20), a gente conseguiu levar um pouco de ajuda ao bairro Pantanal, em Santa Luzia", relatou. Conforme ela, no ano passado a entidade recebeu uma das maiores quantidades de doação, tendo distribuído 475 toneladas de itens; situação que não dá sinais de repetição em 2021.

"Neste ano está muito devagar. A gente acredita que a Covid-19 tenha interferido. Não sabemos se as pessoas estão apreensivas ou se realmente estão sem condições de ajudar", disse.

Como ajudar

No momento, a Cruz Vermelha necessita de alimentos não perecíveis, água mineral, material de higiene pessoal e de limpeza e colchões. Devido à pandemia da Covid-19, a instituição não pede a doação de roupas e calçados.

Todo o material pode ser levado à sede da instituição, na av. Alameda Ezequiel Dias, 427, no Centro de BH. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (31) 3239-4227.

Cruz Vermelha

A Cruz Vermelha Brasileira foi instituída no Brasil em 1908 com o ideal da matriz, que é de atenuar os sofrimentos humanos, a partir de sete princípios fundamentais: humanidade, neutralidade, independência, voluntariado, unidade, imparcialidade e universalidade. A entidade está presente em cerca de 200 países do mundo.

Leia mais:
Gerdau abre inscrições para 30 vagas de estágio com bolsas de R$ 1.350 para universitários em Minas
Ocupação de leitos de UTI cai em BH, mas capital registra mais 14 mortes por Covid desde sexta
Multa para o transporte clandestino aumenta 82% em Minas; infrator terá que pagar R$ 1.9 mil