Quarenta e cinco casos suspeitos da Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P), doença associada à Covid-19, estão sob investigação em Minas Gerais. Até o momento, 64 notificações foram confirmadas e 56 crianças já tiveram alta. Os dados são do boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), divulgado na terça-feira (16).

Desde o ano passado, 198 notificações de casos da doença foram feitas no Estado, sendo 89 descartadas. Até o momento, nenhum óbito foi confirmado. Trinta e um municípios registraram confirmações da síndrome.

Até semana passada, no levantamento divulgado no dia 9 de fevereiro, eram 188 notificações, 40 ainda em investigação, e 62 casos confirmados.

Em território mineiro, a síndrome infantil foi confirmada em crianças de 0 a 14 anos. Grande parte dos casos, 54,7%, foi confirmado em pacientes com idades entre 0 a 4 anos. Crianças entre 5 a 9 anos representam 38,7% do total e os 10 a 14, 6,5%.  

Meninos são os mais afetados e aparecem em 63% dos casos confirmados. Além disso, das crianças que tiveram a síndrome, 85,9% não apresentavam comorbidades.  

Sintomas

Os pacientes diagnosticados com a enfermidade podem apresentar quadro de insuficiência respiratória de forma grave, além de doença renal e insuficiência cardíaca agudas. Os principais sintomas são febre, manchas vermelhas na pele, conjuntivite, edema nos pés e nas mãos.

Onde

Belo Horizonte é a cidade com mais casos confirmados até o momento, com 22 registros. Contagem, na Grande BH, aparece na sequência, com cinco registros. Betim, também na região metropolitana, tem quatro.

Montes Claros, no Norte de Minas, e Uberlândia, no Triângulo Mineiro, têm três confirmações cada. Vespasiano tem dois registros até o momento. Outras 25 cidades, como Governador Valadares, Juiz de Fora, Santa Luzia e Teófilo Otoni, tiveram um caso. Confira a lista completa aqui.

Leia mais: 
Mineira espera segunda dose da vacina contra a Covid como presente do aniversário de 110 anos
Avanço da Covid-19 em Minas faz Estado manter só cirurgia de paciente cardíaco e com câncer
Notificada pelo MP, prefeitura de Igarapé diz que vai colaborar com investigação sobre vacinas