Os cidadãos que tiveram sintomas típicos da Covid-19 e que quiserem confirmar se foram contaminados pela doença podem realizar a testagem rápida na rede pública municipal. A informação foi divulgada pelo governo de Minas nesta quarta-feira (22), em coletiva na Cidade Administrativa.

De acordo com o Estado, 500 mil exames sorológicos para essa finalidade foram enviados para as prefeituras, em conformidade aos critérios do Ministério da Saúde. Para ter acesso ao teste, porém, é necessário que o indivíduo procure a rede após o encerramento do caso clínico. Ou seja, após o fim da sintomatologia.

"As pessoas que tiveram sintomas típicos e que podem ter tido a Covid, que evoluíram bem, elas podem fazer, posteriormente, os testes rápidos para confirmar se elas fizeram a viragem sorológica", declarou o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral.

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), a definição de onde (postos, UPA's ou hospitais municipais) os testes podem ser feitos é de responsabilidade das prefeituras. A reportagem procurou a Prefeitura de Belo Horizonte para obter informações sobre onde o exame pode ser feito na capital e aguarda um retorno.

Amaral relembrou que a testagem não é feita em toda a população devido ao cenário atual "em todo o mundo" de carência de insumos para exames. Por essa razão, a prioridade do governo é testar o grupo prioritário, que é composto por pacientes graves, internados, com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), e profissionais de saúde e segurança pública sintomáticos.

O teste rápido é feito com o sangue do paciente, tem diagnóstico em até 30 minutos e identifica se a pessoa já teve a Covid-19. Ele não é capaz de apontar se o indivíduo está com a doença no momento. Saiba mais aqui.

Medicamento em Casa

Carlos Eduardo Amaral ainda atualizou os números do Medicamento em Casa, programa que entrega remédios a pessoas do grupo de risco da Covid no domicílio. Até o momento, foram 10.248 viagens, com 5.346 pacientes atendidos e 12.947 medicamentos entregues. 

"O programa já ultrapassou 39 mil quilômetros rodados. Estamos, realmente, conseguimos evitar que aquelas pessoas de grande risco compareçam às farmácias do Estado para pegar medicação", afirmou.