O tradicional “Cortejo Junino”, evento conhecido por ser o pontapé inicial das comemorações do Arraial de Belo Horizonte, ganhou um novo formato neste ano para se adequar ao isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus.

Neste sábado (13), em que a igreja Católica celebra o Dia de Santo Antônio, as carroças deram lugar a “quadriata”, uma carreata de quadrilhas, que foi organizada pela União Junina Mineira e levou para as ruas da capital cerca de 60 veículos. "A gente quis levar um pouco da nossa cultura para a rua, respirar um pouco junto com o povo, mas sem promover aglomeração", conta o presidente Jadison Nantes. 

Para evitar a propagação da Covid-19, o limite para participar era de até três ocupantes por veículo. O uso de máscara e de álcool gel também era obrigatório. 

Os carros foram enfeitados com as cores e a alegria das festas juninas. Como não podia faltar, principalmente no dia do santo casamenteiro, o casal de noivos veio em cima de uma caminhonete. Em outro carro, uma homenagem a Santo Antônio.

Carreata Junina

A concentração foi em frente ao parque municipal. Em seguida, os grupos percorreram ruas do Centro como Caetés, Bahia e Tupinambás até à Praça da Estação, palco das grandes disputas pelo título da melhor quadrilha da capital mineira. "As pessoas quando viam os carros enfeitados com bandeirinhas, os chapéus de palha, ficavam alegres. O cortejo foi muito bem recebido", finalizou Nantes.

A pandemia do novo coronavírus provocou neste ano a suspensão do Arraial de Belo Horizonte, que reunia 40 quadrilhas juninas divididas entre grupo de acesso e especial. No ano passado, a festa atraiu mais de 20 mil pessoas.